No YouTube, depois da música vêm os videojogos. São o segundo conteúdo mais procurado na maior plataforma de vídeos do mundo. A Google (ou a Alphabet?) sabe disso e, esta quarta-feira, lançou o YouTube Gaming, um serviço independente totalmente dedicado aos jogos e aos jogadores.

O conceito é simples: permitir que os utilizadores assistam e façam transmissões dos jogos em direto. Este serviço irá entrar em concorrência direta com a Twitch, uma plataforma adquirida pela Amazon, que contava em 2014 com 45 milhões de utilizadores a assistir a 13 mil milhões de minutos de vídeo em direto por mês, de acordo com a Fast Company.

O YouTube Gaming inclui grande parte das funcionalidades a que já nos habituámos na plataforma principal. No entanto, o principal elemento diferenciador é a organizaçãoSegundo o site The Verge, o YouTube Gaming faz a separação dos conteúdos por jogo ou canal. De um lado surge uma lista com os principais videojogos, do outro uma lista com canais ou jogadores.

A nova plataforma permite ainda que os espectadores conversem num chat que acompanha grande parte das transmissões e tem vídeo-on-demand. Ou seja, nem todos os conteúdos são transmissões em direto. Alguns são gravações de transmissões anteriores, ou vídeos previamente carregados no YouTube e importados para o YouTube Gaming. Além da versão web, o serviço conta ainda com aplicações móveis para iOS e Android — não disponíveis, para já, nas lojas portuguesas.

O novo lançamento da Google — detentora do YouTube — parece estar a ser bem recebido entre a comunidade de jogadores. Alguns dos principais youtubers do segmento já marcam presença no YouTube Gaming, sendo o caso mais flagrante o do jovem sueco Felix Kjellberg, conhecido internacionalmente por PewDiePie, que soma quase 10 mil milhões de visualizações no YouTube.