Será um duelo entre os homens mais ricos do mundo pelo mundo da moda: Carlos Slim, o mexicano das telecomunicações desafia Amâncio Ortega, o espanhol dos têxteis. O prémio será saber se é mesmo possível bater a Zara.

As lojas vão abrir na Cidade do México e no Estado do México, sob a efígie Philosophy, e centram-se no segmento do vestuário para mulheres jovens. Com este lançamento, Carlos Slim pretende competir com a espanhola Zara, a sueca H&M, a americana Forever21 e a britânica C&A. E a previsão é que em 2017, a marca conte com 100 lojas.

A chancela Philosophy já existe há dois anos e até agora vendia-se apenas nos armazéns Sears no México e na América Central, mas o sucesso que os produtos alcançaram levaram à decisão da sua comercialização de forma independente. Prevê-se que 7% da produção da marca seja feita no México e a restante tenha origem em países com tradição na indústria têxtil. Estima-se que o investimento do segundo homem mais rico do mundo segundo a Bloomberg atinja os 18 milhões de euros nos próximos dois anos.

O dono da Telmex tem uma fortuna estimada em 59.900 milhões de dólares obtida principalmente em negócios no setor de telecomunicações. Recentemente, Carlos Slim entrou também no setor da energia no México, com a criação da empresa de petróleo Carso Oil & Gas.

A sua fortuna é próxima à do galego Amâncio Ortega, fundador da Inditex – dona da Zara entre outras marcas  – e que tem um volume de  negócios calculado em 20.142 milhões de dólares no ano passado.