Reino Unido

O que Varoufakis e o próximo líder trabalhista faziam: protestar contra Thatcher

O Partido Trabalhista britânico vai eleger um novo líder no sábado e Iannis Varoufakis, ex-ministro grego, disse que costumava ir a protestos contra Margaret Thatcher com o hoje principal candidato.

Iannis Varoufakis confirmou que durante as décadas de 70 e 80 do século passado terá participado com Jeremy Corbyn, principal candidato à liderança do Partilho Trabalhista britânico, em vários protestos contra o governo de Margaret Thatcher

Richard Stonehouse/Getty Images

Sábado é um dia especial no Partido Trabalhista britânico, pois é o dia em que vai eleger um novo líder. São três as pessoas que estão na corrida, embora as previsões tenham, nos últimos dias, dado como quase certa a vitória de um deles. Chama-se Jeremy Corbyn, tem 66 anos, é deputado no parlamento e espera-se que seja ele o próximo líder do partido. Sabe-se que Corbyn é de esquerda e, agora, passou-se a saber que partilha “muitas” das visões económicas com Iannis Varoufakis, antigo ministro das Finanças grego.

Quem o disse foi o próprio helénico e não ficou por aqui. Disse-o porque, durante as décadas de 70 e 80, Varoufakis conheceu o hoje deputado trabalhista. Na altura, aliás, o ex-membro do governo grego sugeriu que ambos participaram em protestos contra o Margaret Thatcher — a “Dama de Ferro” conservador que liderou os britânicos entre 1979 e 1990. “A semelhança que sinto à vontade em partilhar é que eu e o Corbyn, provavelmente, coincidimos em muitas demonstrações contra o governo Tory [alcunha dada pelos britânicos ao Partido Conservador] enquanto vivi no Reino Unido”, revelou Iannis Varoufakis, em entrevista publicada no site The Conversation.

O antigo governante grego indicou que tinham a mesma opinião sobre o declínio da indústria inglesa que se registou durante os dois mandatos de Thatcher. “Partilhamos muitas visões sobre a calamidade que caiu sobre os trabalhadores britânicos, à medida que o poder se mudou da indústria da produção para o setor financeiro”, resumiu o político helénico.

Varoufakis, contudo, alertou contra as comparações entre o Syriza, o seu partido, e os trabalhistas, argumentando que o Reino Unido não passou pela mesma “implosão socio-económica” que se verificou na Grécia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)