O antigo líder do Governo de Hong Kong Donald Tsang foi esta segunda-feira formalmente acusado de “má conduta” durante o período em que ocupou o cargo, avança a imprensa local.

Tsang terminou o seu mandato em junho de 2012, após admitir ter aceitado presentes de magnatas sob a forma de viagens em iates de luxo e ‘jets’ privados, apesar de ter insistido em que não havia qualquer conflito de interesses.

Desde então, tem estado sob investigação pela Comissão Independente contra a Corrupção.

Tsang, 70 anos, que liderou a região administrativa especial durante sete anos, a partir de 2005, deve hoje comparecer em tribunal, tornando-se no mais elevado detentor de cargo público em Hong Kong a enfrentar um julgamento por corrupção.

As acusações contra Tsang estão relacionadas com o facto de não ter apresentado uma declaração de conflito de interesses ao Conselho Executivo, de acordo com a emissora pública RTHK.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As alegações surgem menos de um ano depois de o magnata do imobiliário Thomas Kwok e o ex-secretário da Administração de Hong Kong Rafael Hui terem sido detidos por corrupção, após Hui ser considerado culpado de aceitar subornos de Kwok e do seu irmão Raymond.

Enquanto ocupou o cargo de secretário da Administração, Hui foi número dois de Tsang, de 2005 a 2007. Foi preso em dezembro e cumpre uma pena de sete anos e meio, por um total de cinco crimes de corrupção.

A acusação disse que Hui tinha uma vida extravagante que ultrapassava largamente a capacidade do seu salário. Durante o julgamento, Tsang escreveu uma carta ao tribunal pedindo clemência para Hui.