Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Depois da destruição do Arco do Triunfo de Palmira, o vice-ministro da Cultura da Síria, Ali al-Qayyim, revelou que o autoproclamado Estado Islâmico colocou uma série de bombas no anfiteatro romano da cidade milenar.

Em declarações à agência noticiosa russa RIA Novosti, al-Qayyim afirmou que “esta informação é certa. Fomos informados pelos residentes de Palmira que confiamos. O Estado Islâmico colocou bombas no anfiteatro. Estão conscientes que as forças sírias não podem atacar os monumentos históricos. Se há uma intenção ou uma ameaça, (os jihadistas) vão continuar a minar os restantes monumentos. Estas ações são desumanas.”

Rússia bombardeia a cidade de Palmira na Síria. E já tem tropas no terreno

Segundo cita CNN, o Secretário-Geral da NATO, Jens Stoltenberg confirmou que está “uma acumulação substancial de tropas russas na Síria” incluindo “tropas terrestres em conexão com a sua base aérea.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo está a noticiar a televisão estatal da Síria, os jatos russos já chegaram à cidade histórica de Palmira. A força aérea da Rússia bombardeou alvos do autoproclamado Estado Islâmico na cidade que fica no norte da província de Aleppo. Também a BBC já citou a mesma televisão através do Twitter. No entanto é referido que o alvo dos ataques russos foi a cidade moderna de Palmira e não as ruínas milenares presentes nas redondezas.

Citando uma fonte militar, o canal informa que os ataques destruíram 20 veículos e três depósitos de armas presentes na cidade controlada pelos jihadistas.

As autoridades russas ainda não confirmaram o ataque.

Recorde-se que o Estado Islâmico controla a cidade Palmira tendo destruído vários monumentos milenares aí presentes.