Há muito que se ouve falar dos benefícios dos ómega 3, sobretudo para o coração. A pensar nisso, a Kansas State University está apostada em descobrir se os bifes ou os hambúrgueres de carne bovina podem ser enriquecidos com essas gorduras saudáveis, ao alimentar os animais à base de algas, escreve a imprensa norte-americana.

Os investigadores defendem que os consumidores podem ser persuadidos a comer mais carne se esta tiver, na sua composição, doses substanciais do ácido gordo que normalmente se encontra nos peixes gordos (mas também em algas, sementes de linhaça, chia e cânhamo).

Paralelamente, algumas lojas no estado norte-americano do Texas estão a vender produtos de carne bovina enriquecidos com ómega 3 através do uso de linhaça. A experiência tem corrido bem e prova disso é o aumento considerável das vendas: os pedidos quadruplicaram desde que o projeto arrancou há cerca de sete meses. A isso acrescenta-se que um estudo nacional mostrou que os consumidores estão dispostos a pagar mais 1,85 dólares por quilo em carnes enriquecidas e mais 79 cêntimos tendo em conta carne moída.

Não é certo se esta é ou não uma nova tendência no mundo da gastronomia, mas os benefícios dos ómega 3 são inegáveis, com nutricionistas a aconselhar as pessoas a consumir, pelo menos, 250 mg do ácido gordo por dia, escreve o jornal Houston Chronicle.

Já antes Nuno Borges, professor na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, explicou ao Observador que os ómega 3 têm um papel fundamental na regulação do processo inflamatório, além de serem importantes para a saúde cardiovascular.