A Vintage Department dá-lhe asas. Asas, bocados de motores, carrinhos iguais aos que as hospedeiras empurram durante um voo enquanto perguntam: “Chá? Café”. Tudo isto transformado em peças de decoração, de mesas a sofás, ou não fosse a loja do Príncipe Real detentora de uma coleção de peças de aviões antigos.

Alma Mollemans, alemão que veio para Lisboa há dois anos e meio abrir a Nichts Neues (“nada de novo”) era daqueles miúdos que queria ser piloto quando fosse grande mas acabou por se dedicar ao negócio vintage. No ano passado uniu as duas paixões e viajou com a mulher, Emily Tomé, até um cemitério de aviões no deserto da Califórnia.

Emily Alma Vintage Department

Emily Tomé e Alma Mollemans quando se casaram, em Las Vegas.

“Sempre quis fazer coisas a partir de material aéreo antigo”, diz Alma, que no deserto encontrou a matéria-prima há tanto tempo procurada: aviões partidos e desmontados, que se poderia pensar serem o resultado de histórias trágicas mas na verdade são parte do showbiz. “Eles fornecem aviões para cenários de séries e filmes”, conta o alemão, dando como exemplo a cena do acidente num dos episódios mais marcantes de Anatomia de Grey. “O que foi filmado veio do cemitério e era um avião do Texas que já tinha ultrapassado o número de emissões [de CO2] permitidas e por isso foi vendido e desmontado.”

Alma e Emily vasculharam e vasculharam — algo a que já estão habituados depois de vários anos a percorrerem vendas de garagem e armazéns na Dinamarca — e trouxeram para Portugal um contentor com seis metros cheio de peças partidas, areia e pó. “Os homens que descarregaram o material para o armazém olhavam para nós como quem diz: ‘para que é que eles querem isto?'”, conta Emily.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na verdade, a resposta é simples: queriam tudo para poder recuperar as peças e dar-lhes novas funções, muitas vezes recorrendo a artesãos lisboetas. Dando uma volta pela Vintage Department — nome que a Nichts Neues assumiu entretanto, para ser mais fácil de pronunciar e incluir também criações produzidas ou recicladas pelos proprietários — vê-se esse trabalho em vários exemplos, da capa de um motor que foi transformada numa poltrona à asa de um Boeing que serve agora de bar.

Aviation-0230 jpg

O bar que já cruzou os céus é das peças mais caras: custa 5.200€.

No solo firme da loja que ocupa duas salas grandes do Entre Tanto, no Príncipe Real, encontram-se muitos outros exemplares da “Aviation Collection”, para pousar num aparador — caso das asas de madeira dos anos 40 nas quais foi colocado um pedestal e que servem como peças decorativas por si só — ou para servirem elas próprias de mesa, como a coffee table construída a partir da ponta do avião onde encaixam as hélices.

Para adquirir qualquer uma das peças não é preciso tirar o brevet mas estar disposto a pagar o preço de fazer aterrar um objeto tão especial em casa. Entre os 650 e os 5.200 euros, a coleção de aviação está entre os artigos mais caros da Vintage Department, uma loja que, segundo Alma, também tem “coisas mais baratas do que o Ikea”.

Nome: Aviation Collection da Vintage Department
Morada: Entre Tanto Indoor Market: Rua da Escola Politécnica, 42 (Príncipe Real), Lisboa
Contacto: 96 120 4571
Horário: Todos os dias das 12h00 às 20h00
Preços: 650€ a 5.200€