1. O Bon Bon não é propriamente uma novidade no Algarve

É verdade. Pode nunca ter ouvido falar nele, mas o mais recente estrela Michelin nacional, o restaurante Bon Bon, existe, com esse nome, há mais de duas décadas, tendo sido fundado por holandeses no início dos anos 90. O conceito do restaurante mudou, no entanto, com a entrada em cena da atual gerência em 2013, composta por Nuno Diogo e Bianca Salden, que já detinham outros restaurantes na zona, O Leão de Porches e Pimenta Preta. Já o chef responsável por esta distinção, Rui Silvestre, chegou ao restaurante apenas em maio do ano passado.

2. A estrela Michelin é uma novidade, não é uma surpresa

No meio da restauração já se tinha como quase certa esta distinção. Por duas razões. Primeira: era público que os inspetores do guia Michelin tinham visitado o restaurante este ano e saído satisfeitos. Segunda: sabia-se que o chef Rui Silvestre fora convidado para a gala de atribuição das estrelas Michelin e previa-se que a intenção fosse brindá-lo com uma delas. Não seria, no entanto, a primeira vez que a empresa dos pneumáticos faria uma desfeita do género a um convidado, por isso a confirmação deu direito não só a festa mas à declaração emocionada da praxe por parte do chef:

“Não consigo expressar o orgulho que sinto por ter ganho a Estrela Michelin. Este prémio não é só meu, é também da minha equipa e especialmente do Nuno Diogo, proprietário do BonBon e que desde cedo apostou em mim. Em conjunto criámos um conceito em que acreditamos. Acima de tudo sublinho o seu grande profissionalismo de sala, profissão que desenvolve há mais de 25 anos, mas de forma irreverente e em permanente atualização”

BonBon-10044

Um dos pratos do chef Rui Silvestre, cuja cozinha se baseia no peixe e marisco local.
(foto: DR / Chefs Agency)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

3. A cozinha privilegia os produtos locais

Apesar de ter feito boa parte da sua carreira no estrangeiro, com passagens pelos estrelas Michelin Ferme Saint Simion e Christophe Bacquié, ambos franceses, e pelo Costes, em Budapeste, chefiado por Miguel Rocha Vieira (que está agora na Fortaleza do Guincho), a cozinha de Rui Silvestre, natural de Valongo, privilegia os sabores nacionais, inspirados pela matéria-prima que lhe está mais próxima: o peixe e o marisco da costa algarvia. O serviço de vinhos do restaurante é assegurado pelo próprio dono, Nuno Diogo, que acumula a função de chefe de sala.

4. Em caso de dúvida, deve escolher mesa na esplanada

O restaurante está em obras neste momento (mais sobre isso no ponto seguinte) e ainda não se sabe ao certo quão transformado se irá apresentar depois delas. O certo é que, tendo em conta a sala acolhedora — com direito a lareira — mas algo datada, é bem possível que para a estrela Michelin tenha contribuído (e muito) a vista das mesas colocadas no exterior, de onde se pode observar até a silhueta da Serra de Monchique, que não fica assim tão perto.

Silvestre-10120

O chef Rui Silvestre, um dos homens mais felizes em Portugal neste momento.
(foto: DR / Chefs Agency)

5. Quer experimentar? Vai ter de esperar

Uma distinção como esta vem sempre em boa hora, é certo, mas apanhou o Bon Bon numa época de inatividade: o restaurante está fechado desde 1 de novembro, estando prevista a sua reabertura apenas a 7 de fevereiro do ano que vem. Esta paragem está, no entanto, a ser aproveitada para melhorar o espaço. Segundo informa o blogue Mesa Marcada, o restaurante está a ser alvo de obras, não só na sala mas também na cozinha. Resta saber se a publicidade associada à distinção vai fazer acelerar o processo.

Nome: Bon Bon
Morada: Urbanização Cabeço de Pias, Carvoeiro
Telefone: 282 341 496
Horário: Das 18h30 às 22h30. Fecha à quarta-feira. Atenção: neste momento o restaurante encontra-se encerrado, com reabertura prevista para 7 de fevereiro de 2016.
E-Mailrestaurante.bonbonbypp@yahoo.com
Preço Médio: 120€