Rádio Observador

Ranking Escolas 2015

Secundário: maioria das escolas chumba nas provas pedidas para cursos de saúde

A maioria das escolas chumbou nos exames de 12.º ano de Física e Química e de Biologia, duas provas exigidas no acesso aos cursos superiores de saúde.

PEDRO S

A maioria das escolas chumbou nos exames de 12.º ano de Física e Química e de Biologia, duas provas exigidas no acesso aos cursos superiores de saúde, segundo dados do Ministério da Educação trabalhados pela Lusa.

Comparando com os resultados obtidos no ano anterior, a média dos estudantes melhorou a Física e Química mas piorou a Biologia. Por outro lado, tanto num como no outro exame, há cada vez mais escolas privadas com melhores classificações.

No caso de Física e Química, 60% dos estabelecimentos de ensino chumbou (no ano anterior eram quase 80%), segundo um ranking elaborado pela Agência Lusa que analisa apenas os resultados dos alunos internos na primeira fase de exames nacionais.

Num universo de 620 escolas, apenas 246 têm média positiva a Física e Química, sendo um terço (80) privadas e as restantes 166 públicas.

Os primeiros 27 lugares da lista da Lusa são ocupados por instituições particulares e cooperativas, uma constante quebrada pela Escola Secundária José Falcão, em Coimbra, que surge em 28.º lugar como a primeira pública, com uma média de 13,07 (numa escala de zero a 20).

O Colégio Internacional de Vilamoura, em Loulé, ocupa o 1.º lugar (16,76 valores de média com apenas três exames), seguindo-se a Academia de Música de Santa Cecília (16,68 valores) e o Colégio de São Teotónio (16,68 valores).

Entre as públicas, depois da Secundária José Falcão, aparece a Secundária de Molelos, em Tondela (em 34.º lugar com média de 12,63), a D. Filipa de Lencastre, em Lisboa, (em 39.º com média de 12,39) e a Alves Martins, em Viseu (41.º lugar).

Dos 374 estabelecimentos de ensino com média negativa, a maioria (331) são públicos, mas nos últimos lugares aparecem apenas colégios: Colégio Liverpool, no Porto (3,12 valores); Escola Portuguesa da Guiné-Bissau (3,8); Colégio Torre Dona Chama, em Mirandela (4,46) e Colégio D. Afonso V, em Sintra (4,72).

notas_fisica_quimica

Ao contrário do que aconteceu com Física e Química, as notas a Biologia baixaram significativamente o que levou a que 85,4% das escolas “chumbassem” (no ano anterior foram 32%).

Das 620 escolas em análise, apenas 91 teve média positiva, sendo a maioria estabelecimentos de ensino privados (56) e apenas 35 públicas.

Com apenas dois exames realizados, o Colégio dos Cedros surge em primeiro lugar com média de 15, logo seguido pelo Colégio da Rainha Santa Isabel, em Coimbra (14 valores).

A primeira escola pública do ranking da Lusa surge em 5.º lugar e é a Escola Secundária de Campo Maior, que levou dez alunos a exame e conseguiu uma média de 12,9 valores.

Em 20.º lugar volta a surgir mais uma escola pública: o Colégio Militar, onde 23 alunos conseguiram uma média de 11,8 valores.

Com piores resultados surge o Colégio Liverpool, no Porto, com uma média de 2,4 valores nos quatro exames realizados e a Escola Básica Integrada Mouzinho da Silveira, no Corvo, nos Açores, que levou apenas um aluno a exame que obteve 5,2 valores.

Dos 529 estabelecimentos com negativa, 462 são públicos e os restantes 67 privados.

Para os rankings das disciplinas são contabilizados todos os estabelecimentos de ensino independentemente do número de exames realizados.

notas_biologia

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

grafismo de Milton Cappelletti.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ranking Escolas 2015

Rankings e liberdade andam de mão dada

João Muñoz de Oliveira
163

Uma escola onde se aprende é a mais poderosa ferramenta de desenvolvimento pessoal e social para crianças e jovens. E se existem para os alunos, as famílias devem poder saber em que escolas se aprende

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)