A operadora de telecomunicações MEO vai suspender o acesso dos clientes da NOS ao Porto Canal, confirmou o Observador. O sinal do Porto Canal (que tem ligações ao Futebol Clube do Porto) é detido pela MEO, depois de o clube e a operadora terem chegado a acordo no passado dia 27 de dezembro de 2015 para os direitos de transmissão dos jogos.

A decisão da MEO vai entrar em vigor à meia-noite de quinta-feira e surge depois de as negociações entre as duas operadoras não terem ainda chegado a um desfecho positivo. A NOS já reagiu e acusa a concorrente de ser “irrazoável e inflexível”.

A meio da tarde desta quarta-feira, o FC Porto — que em julho de 2015 adquiriu a totalidade do Porto Canal — também reagiu à notícia, através de um comunicado publicado no site oficial do clube. Os dragões escrevem que, após serem informados pela MEO de que as negociações com a NOS “se revelaram infrutíferas”, ao clube “não resta alternativa que não seja a de suspender a disponibilização do sinal à NOS sem prejuízo de, entre ambas as partes, vir a ser alcançado um entendimento”.

A iniciativa da antiga PT é mais uma escalada na chamada guerra entre as operadoras pelo controlo dos direitos de transmissão televisiva dos jogos de futebol dos três principais clubes da Liga NOS, e que tem sido protagonizada pelas duas maiores empresas de telecomunicações. A MEO é a marca da PT Portugal, que foi comprada pela Altice. A NOS é detida pela Sonae e por Isabel dos Santos e controla 50% da Sport TV.

A NOS adquiriu os direitos de transmissão televisiva dos jogos de futebol do Benfica (para a Liga NOS) a decorrer no Estádio da Luz a partir do início da época desportiva de 2016/17. O negócio entre o clube da Luz e a operadora ficou fechado a 2 de dezembro de 2015. Mais tarde, a 29 de dezembro do mesmo ano, a NOS também entrou em acordo com o Sporting para a transmissão televisiva dos jogos no estádio de Alvalade.

Estes contratos movimentam muitas centenas de milhões de euros em troca dos direitos televisivos por pelo menos três épocas, mas podem ser prolongados até aos dez anos. A principal questão é a de saber se os novos donos destes direitos vão disponibilizá-los aos operadores concorrentes, em que canais e a que preço o farão

Até agora, todos os operadores de cabo têm podido comprar e disponibilizar aos seus clientes os jogos dos principais clubes de futebol. Mas no caso do Benfica, o canal do clube tinha o exclusivo da transmissão dos jogos em casa, o que não acontece atualmente com os canais do Sporting e do Porto. Estes clubes cederam esses direitos à Sport TV, cujo capital é dividido entre a NOS e Joaquim Oliveira.

“A MEO transmitiu à NOS a importância de não se perpetuar qualquer imprevisibilidade junto dos clientes e do mercado”, avançou a marca da PT Portugal em comunicado, garantindo que “assumiu uma postura séria e transparente nesta negociação”. “A NOS insiste em não apresentar contrapropostas concretas, mantendo o mercado e os clientes sem qualquer informação”, acusa a MEO.

Do seu lado, também em comunicado, a NOS diz que “a MEO revelou-se irrazoável e inflexível” ao longo “das últimas semanas”, “não tendo nunca apresentado qualquer proposta específica para a distribuição” do Porto Canal.

Segundo o Expresso, esta é a primeira vez que um operador suspende a emissão de um canal a clientes de outro operador sem um acordo mútuo.