Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ainda muitos se recordam do dia soalheiro em que a estátua de D. João I, mestre de Avis, foi inaugurada: naquela quinta-feira, 30 de dezembro de 1971, a Praça da Figueira encheu-se de gente curiosa com a nova obra de Leopoldo de Almeida e Jorge Segurado. O Presidente da Câmara de Lisboa na época, o engenheiro Santos e Castro, não faltou à cerimónia. Nem podia, porque estava disposto a mudar radicalmente os fluxos na cidade, com a construção de pontes e viadutos na capital portuguesa.

Estes tempos – da “Camisaria Moderna” e dos dias áureos da Portugália – já lá vão. Mas ficaram as fotografias da Fundação Calouste Gulbenkian para nos recordar como eram as ruas e as vistas há alguns anos. Consegue encontrar as diferenças? Encontre-as nas 90 fotografias que temos para si na fotogaleria que vai dos anos 40 aos 70.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR