O vice-governador do Banco Central Europeu (BCE), Vítor Constâncio, recusa-se a responder às perguntas dos deputados portugueses que integram a comissão parlamentar de inquérito ao Banif. De acordo com o Diário de Notícias e o Expresso, o ex-governador do Banco de Portugal disse que não “presta contas” aos parlamentos nacionais dos Estados-membros, só ao Parlamento Europeu.

“Não recebemos qualquer pedido nesse sentido”, disse aos jornalistas presentes em Amesterdão para acompanhar a reunião informal dos ministros das Finanças da zona euro. Depois sublinhou que, “como se sabe”, o BCE “não responde perante comissões de inquérito de parlamentos nacionais”.

A 19 de dezembro, a presidente do conselho de supervisão do Banco Central Europeu enviou um e-mail a Mário Centeno no qual revelava que tinha conversado com o ministro das Finanças e Vítor Constâncio e que estes lhe tinham pedido para desbloquear junto da Comissão Europeia (serviços da concorrência) a proposta do Santander Totta para a compra do Banif. Foi com base neste e-mail que o PSD acusou Centeno de ter mentido na comissão parlamentar.

Constâncio também não quis falar sobre esse e-mail. “Como sabe, não sigo em pormenor o que se passa em Portugal em relação a esse assunto e outros”, disse.

Na comissão de inquérito ao BES, Constâncio respondeu a algumas perguntas por escrito — devido ao facto de ser ex-governador do banco nacional –, mas 17 ficaram sem resposta pelo mesmo motivo agora invocado.