O Ministério Público belga confirmou esta quarta-feira que o suspeito número um dos atentados de Paris de novembro, Salah Abdeslam, foi transferido para França esta manhã. De acordo com a imprensa francesa, que cita o Ministério Público francês, o suspeito de 26 anos, que foi detido em Bruxelas em março, “será apresentado hoje aos magistrados para procederem à acusação”.

“No quadro do dossier relativo aos atentados de Paris de 13 de novembro de 2015, Salah Abdeslam foi entregue esta manhã às autoridades francesas (em execução de um mandado de detenção europeu contra si no dia 19 de março de 2016 pela França)”, indicou o Ministério Público federal belga, num comunicado citado pela agência France Press.

O Ministério Público indicou ainda que não comunicará “qualquer informação complementar a propósito da hora e das circunstâncias da entrega”, feita discretamente.

O advogado de Abdeslam, Cedric Moisse, já tinha revelado o desejo do seu cliente em “colaborar com as autoridades francesas”. “Confirmo que Salah Abdeslam quer ser entregue às autoridades francesas”, disse no final de março à saída de uma audiência no tribunal de Bruxelas. O mandado de detenção europeu contra Salah tinha sido emitido por França.

Salah Abdeslam foi detido a 18 de março em Molenbeek, Bruxelas, depois de quatro meses em fuga pelos atentados terroristas de Paris que, a 13 de novembro, vitimaram 137 pessoas. É o único suspeito vivo deste massacre, tendo a sua detenção em Bruxelas ocorrido apenas quatro dias antes dos atentados que mataram 32 pessoas na capital belga.