Foram vendidas em 2015 mais de 170 mil embalagens de pílula do dia seguinte, mais 30% do que em 2012. Os dados são revelados esta terça-feira pelo Jornal de Notícias e acrescentam que, em Portugal, o número de abortos registados em 2014 diminuiu face a anos anteriores.

Em rigor, foram vendidas no ano passado 170.360 embalagens deste meio de contraceção de emergência em Portugal no ano passado. Em 2012 tinham sido vendidas 132.029 pílulas do dia seguinte. Houve, assim, um crescimento na ordem dos 30%, revela o Jornal de Notícias.

Ao mesmo tempo que houve um aumento de venda da pílula do dia seguinte, os dados apontam para uma diminuição do número de interrupções voluntárias da gravidez. Em 2010 realizaram-se 20.137 abortos, 19.282 em 2013 e 16.589 em 2014.

A Associação para o Planeamento da Família (APF) revela como causas principais para o aumento dos números de venda da pílula do dia seguinte a insuficiente educação sexual, dificuldades financeiras para adquirir contraceção primária e o aumento da eficácia da pílula, cujo efeito agora se estende à “janela terapêutica de cinco dias”, informa o JN.

Vera Carnapete, psicóloga e terapeuta sexual, afirma que o aumento da venda de pílulas do dia seguinte se prende com a incorreta utilização de preservativos, afirmando que, embora nas escolas seja transmitida a informação sobre o que é um preservativo, não se ensina aos alunos como o colocar.

2007 foi o ano em que se venderam mais pílulas do dia seguinte em Portugal, tendo sido registadas 237 mil vendas.