Vários utilizadores de PC estarão a instalar inadvertidamente o Windows 10 nos seus computadores. Tudo porque a mais recente versão do sistema operativo é agora considerada uma “atualização recomendada” pela Microsoft, e muitos terão configurado as máquinas para instalarem automaticamente essas atualizações, avança a BBC.

Tudo começava com o aparecimento de uma pequena janela com a seguinte indicação: “A Microsoft recomenda que atualize este computador para o Windows 10.” Até aqui, os utilizadores clicavam no canto da janela para a fechar. Não é o que acontece agora: ao clicarem, os utilizadores acabam por iniciar o processo de atualização do sistema operativo.

Brad Chacos não tem dúvidas. Citado pela BBC, o editor do site de informática PC World considera que este é um “truque sujo” para levar os utilizadores a instalarem o Windows 10, algo que “só frustra os utilizadores mais antigos do Windows, que têm muito boas razões para se manterem com um sistema operativo que já conhecem e gostam”, escreve.

Numa nota enviada ao Observador, a Microsoft Portugal esclarece que “tem vindo a ajudar os clientes” que recebem essa notificação “a procederem ao agendamento dessa atualização”. “Uma vez agendado o upgrade, os clientes passam a receber uma notificação que indica a hora” prevista para a atualização, tendo a possibilidade de a “remarcar e cancelar, se assim o desejarem”.

“A Microsoft adicionou igualmente outra notificação que confirma a hora da marcação do upgrade e apresenta ao cliente uma oportunidade adicional de cancelar ou remarcar novamente esse upgrade. Se o cliente desejar continuar com o processo na hora determinada, então basta clicar em ‘OK’ ou fechar as notificações sem mais nenhuma ação necessária”, conclui.

Lançado a 29 de julho do ano passado, o Windows 10 é visto como o último sistema operativo da Microsoft. Baseando-se num conceito de “Windows como um serviço”, a marca espera lançar atualizações sucessivas de agora em diante, melhorando-o com o tempo. A atualização para o Windows 10 continuará gratuita até dia 29 de julho, mas o sistema tem motivado críticas de alguns utilizadores, que se queixam de falta de privacidade.

* Atualizado a 27 de maio, às 11h35, com os esclarecimentos da Microsoft Portugal.