805kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Brasil. Protestos contra a violação da jovem de 16 anos

Este artigo tem mais de 5 anos

Movimentos contra a violação da jovem de 16 anos e contra a violência que afeta as mulheres têm-se manifestado nas redes sociais e agora também nas ruas. Dilma Rousseff e Michel Temer também reagiram.

5 fotos

A alegada violação de uma jovem de 16 anos por mais de 30 homens no Brasil tem motivado uma onda de protestos nas redes sociais e esta sexta-feira os manifestantes saíram à rua. Os ativistas, especialmente no Rio de Janeiro — onde terá acontecido a agressão –, prometem ações diárias até dia 4 de junho.

https://twitter.com/mrcoaurelio/status/736315646204612608

Foi pelas redes sociais que se descobriu o que tinha acontecido à jovem, porque algumas imagens da agressão teriam sido divulgadas pelos agressores. Foi nas redes sociais que nasceram movimentos de apoio a esta vítima e a todas as mulheres vítimas de violência — #EstuproNuncaMais. Mas também foi por este meio que se multiplicaram os comentários de utilizadores que acusavam a jovem de ser a responsável pela violação. E, depois, a contra resposta: #estupronaoéculpadavitima.

Dilma Roussef, a Presidente brasileira afastada do cargo, também se manifestou no Facebook repudiando a violência contra a jovem e contra as mulheres em geral. E apelou à punição dos responsáveis.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Facebook de Dilma Rousseff está carregado de mensagens de repúdio à violência contra as mulheres e um apelo a que se coloque um filtro na fotografia de perfil: “Eu luto pelo fim da cultura do estupro”.

Michel Temer, o presidente interino do Brasil anunciou a criação de um departamento na Polícia Federal para combater crimes contra a mulher, noticiou o jornal El País Brasil. Michel Temer terá também pedido a intervenção do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que vai reunir com todos os secretários de Justiça dos Estados na próxima terça-feira.

A jovem já foi ouvida pela polícia e sujeita a exames médicos — teve uma hemorragia e uma rutura da bexiga. Também ela usou as redes sociais para agradecer o apoio que tem recebido. “Não dói o útero, dói a alma”, disse.

A cada 11 minutos, uma mulher é violada no Brasil, segundo o 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, cujos dados mais recentes são de 2014, noticiou o El País Brasil. Só nesse ano, foram abusadas 47,6 mil pessoas. O jornal lembra um caso de há um ano: quatro jovens que, depois de uma violação em grupo em Castelo do Piauí, foram atiradas de um penhasco. E ainda, na véspera da violação da jovem no Rio de Janeiro, um homem de 18 anos e quatro adolescentes estupraram uma menina de 17 anos em Bom Jesus. Ela tinha estado a beber com os agressores antes da violação e foi encontrada ferida e amordaçada.

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€ Apoiar

MELHOR PREÇO DO ANO

Ao doar poderá ter acesso a uma lista exclusiva de benefícios

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO