Uma carta aberta assinada por 150 médicos, cientistas, especialistas e investigadores internacionais, divulgada esta sexta-feira, alerta para as preocupações em torno do vírus do zika, sugerindo o adiamento dos Jogos Olímpicos que deverão decorrer entre 5 e 21 de agosto no Rio de Janeiro, Brasil.

“A nossa maior preocupação é pela saúde pública. A estirpe sul-americana do vírus prejudica a saúde de uma forma que a ciência nunca antes tinha visto”, lê-se na carta divulgada esta sexta-feira, que acrescenta que se os jogos se mantiverem na data prevista irão sujeitar 500 mil turistas ao “risco desnecessário” de ficarem infetados com o vírus e de o poderem propagar nos seus países de origem.

A missiva, assinada por especialistas norte-americanos, ingleses, canadianos, noruegueses, japoneses, da América do Sul, das Filipinas, da Turquia, do Líbano, do Brasil, entre outros, refere ainda que é “irresponsável” e “não é ético” levar a cabo um evento da dimensão dos Jogos Olímpicos naquela que é a segunda cidade brasileira mais afetada pela crise do zika, lê-se na carta, citada pelo jornal The Telegraph.

A estirpe do zika que circula no Brasil é responsável por malformações nos bebés, como a microcefalia, que faz com que os fetos nasçam com o cérebro mais pequeno e menos desenvolvido do que o normal. Até à data, e desde que a praga começou no ano passado, já nasceram cerca de 1.300 bebés no Brasil com esta doença irreversível.