Alguém disse, certo dia, gracejando (ou não), que, chegados ao Brasil, se se der um pontapé numa pedra, saem lá de baixo futebolistas às centenas – e bons. Pois, na Alemanha não é diferente. E não é desde há muito, provavelmente desde a prestação penosa da mannschaft no Euro 2000 – Oliver Kahn ainda terá pesadelos com Sérgio Conceição, por certo. Investiu-se (mais ainda) na formação, as seleções de base começaram a “limpar” competições umas atrás das outras, os clubes da Bundesliga aproveitaram-nos, chegados à idade adulta, e agora para Joachim Löw o difícil é escolher quem utilizar. A Alemanha é a favorita a vencer a competição em França.

Mais do que os próprios anfitriões, mais do que a campeã em título, a Espanha. É que da equipa que venceu (foi quase um passeio no parque) o Mundial de 2014, só Lahm saiu, retirando-se com a Jules Rimet nas mãos. Os restantes estão lá todos. E a eles se agruparam outros tantos, mais novos, mas com futebol para dar e vender, de Rüdiger a Can, de Weigl a Brandt ou Sané. Como se costuma dizer – e esta é para Joachim Löw: é só não estragar muito, que a coisa vai.

separador_o_onze

Manuel Neuer; Jérôme Boateng, Shkodran Mustafi, Mats Hummels e Benedikt Höwedes; Sami Khedira, Toni Kroos, Bastian Schweinsteiger e Mesut Özil; Thomas Müller e Mario Gomez.

separador_treinador

Joachim Löw

craque (2)

Thomas Müller

https://www.youtube.com/watch?v=u-LUTKoJvXQ

Convocados

Guarda-redes: Manuel Neuer (Bayern), Bernd Leno (Bayer Leverkusen) e Marc-André ter Stegen (Barcelona).

Defesas: Jérôme Boateng (Bayern), Jonas Hector (Colónia), Benedikt Höwedes (Schalke 04), Mats Hummels (Borussia Dortmund), Shkodran Mustafi (Valência), Sebastian Rudy (Hoffenheim) e Antonio Rüdiger (Roma).

Médios: Emre Can (Liverpool), Julian Draxler (Wolfsburgo), Mario Götze (Bayern), Sami Khedira (Juventus), Joshua Kimmich (Bayern), Toni Kroos (Real Madrid), Mesut Özil (Arsenal), Bastian Schweinsteiger (Manchester United) e Julian Weigl (Borussia Dortmund).

Avançados: Karim Bellarabi (Leverkusen), Julian Brandt (Leverkusen), Thomas Müller (Bayern), Lukas Podolski (Galatasaray), Marco Reus (Borussia Dortmund), Leroy Sané (Schalke 04), André Schürrle (Wolfsburgo) e Mario Gomez (Besiktas).