Na Aston Martin, os desejos transformam-se em ordens. Pelo menos da divisão Q, que nada tem a ver com o cientista louco dos filmes do 007 que inventa todas aquelas armas em miniatura para o James Bond. Trata-se sim do serviço de personalização do construtor britânico, ao qual pode ser solicitado o que quer que seja, independentemente da sofisticação ou exclusividade. Contando que se possa pagar a conta. Tradicionalmente grande.

Desta vez o cliente, que prefere manter-se anónimo, pediu uma versão descapotável e muito especial do Vantage GT12 Coupé. A concepção tardou cerca de nove meses e requereu a intervenção do departamento de design, que concebeu a evolução estética e a secção de novos materiais, face aos inúmeros painéis e perfis em fibra de carbono que são utilizados no novo Roadster, cujo habitáculo foi reduzido de quatro para apenas dois lugares, tanto por dentro como por fora.

A alma do GT12 Roadster é o imponente V12 a gasolina, com 6 litros de capacidade e 600 cv. Como unidade atmosférica que é, sem um turbocompressor a abafar-lhe o roncar poderoso, o voluntarioso bloco vai encantar os dois ocupantes, ronronando-lhes aos ouvidos, se o ritmo foi contido, ou berrando desalmadamente caso optem por uma condução mais desportiva. Associado ao motor surge uma caixa de sete velocidades Sportshift III, com comando por patilhas no volante.

Há muitos outros trunfos no GT12 Roadster para deliciar os amantes da tecnologia, mas nem todos estão à vista. E exemplos não faltam, do colector de admissão construído em magnésio ao sistema de escape integralmente produzido em titânio. Tudo para reduzir o peso do modelo, maximizando-lhe as acelerações e o comportamento.

Depois de ter surpreendido o sector com modelos ousados e extremamente sofisticados, como o Vulcan – para uso exclusivo em pista – ou o One-77, o departamento Q da Aston Martin dedica-se pela primeira vez à personalização de um modelo produzido em série. O resultado não podia ser melhor. O preço? Tal como o nome do proprietário, permanece no segredo dos deuses. Mas como foi construída apenas uma unidade do GT12 Roadster, não será fácil manter o secretismo eternamente.