Rádio Observador

Caixa Geral de Depósitos

Marques Mendes: Nova equipa da Caixa não entra em funções em 12 dias

O antigo líder do PSD, Marques Mendes, adiantou ainda que a capitalização da caixa não vai custar 4 mil milhões de euros. Opinião vai contra as indicações de Marcelo Rebelo de Sousa.

Carlos Manuel Martins / Global Imagens

Autor
  • Catarina Falcão

Nova equipa de administração da Caixa Geral de Depósitos dificilmente entrará em funções no prazo indicado por Marcelo Rebelo de Sousa e só deverá ser aprovada pelo Banco Central Europeu no final de julho, disse Marques Mendes. Também a capitalização do banco deverá ficar abaixo dos 4 mil milhões de euros.

O antigo líder do PSD, Marques Mendes, disse no seu espaço de comentário semanal na SIC que será “muito difícil” ter nova equipa na Caixa dentro de 10 ou 12 dias, contrariando assim o que foi avançado pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa no início da semana. “No mesmo dia em que estava a dizer isso ao país, averiguei e ainda não tinha chegado o processo burocrático para a nova administração a Frankfurt”, afirmou Mendes.

O advogado indicou ainda que a nova administração nunca entrará em funções antes do mês de julho, já que o processo demora entre 3 ou 4 semanas, e quanto à recapitalização do banco, Marques Mendes indica que não deverá ultrapassar os 4 mil milhões de euros e decisão será tomada pela equipa de António Domingues, novo presidente da Caixa Geral de Depósitos.

Quanto às sanções, Marques Mendes afirmou que decisão da Comissão Europeia foi “hipócrita”, mas acha que Portugal não terá qualquer sanção. “Em teoria podemos ter, na prática não. No momento em que a Comissão Europeia diz que a palavra é do Ecofin é dar sinal do que vai acontecer e os ministros não estão tão interessados no que aconteceu, mas sim em fiscalizar o cumprimento este ano do Orçamento”, afirmou.

Ainda sobre o novo cargo de Durão Barroso, Mendes indicou que o antigo primeiro-ministro deu “o sinal clarinho de que não quer voltar a fazer vida política”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Filosofia Política

A doença mental chamada Amazónia

Gabriel Mithá Ribeiro

Resta decretar o estado de emergência climática que, na prática, se traduz no combate ao capitalismo em nome do socialismo, mas na condição daquele disponibilizar muitos mil milhões de dólares a este.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)