You give me purpose
Yeah, you’ve given me purpose”

O propósito de Eder era ser o melhor marcador do Europeu. “Posso ser eu… porque não?”. Foi assim que, a 11 de junho, Eder respondeu à pergunta sobre quem acharia que ia ser o melhor marcador da competição. Não foi ele, e a verdade é que nunca ninguém acreditou que fosse, mas hoje o avançado português continua a dizer que “o que disse em tom de brincadeira” naquele dia “era a sério”. Marcou “o” golo decisivo e isso soube-lhe muito melhor do que o título que afinal viria a ser atribuído pela UEFA ao francês Griezmann. “Nem que tivesse sido só meio golo ou um auto-golo, prefiro aquele golo e aquela taça a qualquer outro título”, disse esta quarta-feira perante um grupo de jornalistas num evento organizado pela Nike, na loja do Chiado, onde o novo herói nacional foi recebido em clima de total euforia.

O propósito de Eder foi mesmo a vitória final. E uma vez cumprida a missão, quando já estava a bordo do avião que o traria a Lisboa, diz que veio o caminho todo a ouvir a música que mais o inspirou nesta fase: “Purpose”, de Justin Bieber, uma balada pop que parece ter pouco a ver com o avançado português. A música é, de resto, um dos meios a que mais recorre quando se quer concentrar. Hip hop, RnB, rap, Eder gosta de tudo um pouco. Agora até da Casinha, dos Xutos e Pontapés, que viria a tornar-se o hit do regresso da seleção a casa.

Chegou ao Chiado meio a medo, perante a multidão que se impacientava à sua espera, mas depressa se soltou. Afinal já está mais do que habituado a multidões. Tirou selfies, deu autógrafos, beijou a bota direita da Nike que, a seguir ao próprio Eder era a estrela do evento, posou junto à camisola que vestiu na final de Paris, e foi à varanda do Chiado, qual rei ou presidente, saudar as massas. Enquanto lá em baixo se ouvia o novo grito de guerra “E foi o Eder que os f….”, do alto da varanda Eder agradecia a todos pelo feito: “Ainda mal dormi, mas o sonho foi tornado realidade. Estamos todos de parabéns, o país merece. Força Portugal!”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Foi de facto Eder que os “f…..”, aos franceses, e foi também Eder que, no dia dos festejos em Lisboa, sugeriu que o 10 de julho fosse “feriado, c……!”. Agora mantém o que disse, em jeito de brincadeira, e até avança que, se fosse ele a mandar, todos os dias eram feriado. Felizmente não são, porque se não trabalhássemos não estávamos ali para o ouvir.

Eis as 10 respostas que Eder deu ao grupo de jornalistas que, um a um, tiveram a oportunidade de fazer algumas das perguntas que possivelmente estariam na cabeça dos portugueses.

Dizias que ainda mal dormiste desde a final no domingo, quando dormires vais sonhar com o quê?

Com Eder funciona ao contrário: o sonho vive-se acordado, a dormir basta recordar

O sonho está a vivê-lo e, por isso, quando dormir vai limitar-se a “recordar”. “Vou recordar o momento do golo, os momentos que passei com os meus colegas em Marcoussis, com o treinador, todo o apoio que tivemos dos adeptos portugueses lá em França, a receção e o apoio todo que tivemos aqui quando chegamos”, diz.

Não há sinais de olheiras, mas a verdade é que Eder, assim mesmo, sem acento — como fez questão de alertar os organizadores do evento da Nike que erradamente tinham escrito Éder Lopes –, quase ainda não dormiu desde que o sonho começou. Os seus dias são passados a festejar, a receber mensagens de parabéns e a vibrar com aqueles de quem esteve longe durante este mês intenso de europeu.

E o Mundial de 2018 está no papo?

Esse é outro sonho, mas que exige muito trabalho

Eder lembra-se bem do quanto teve de pedalar para chegar à lista de convocados de Fernando Santos para o Europeu. Esteve em dúvida até à última, ouviu muitas críticas antes e depois de ser convocado, mas por agora só quer “desfrutar” do momento. O Mundial logo se vê. “Primeiro vamos desfrutar o momento que estamos a viver, acabamos de ser campeões, devemos desfrutar, continuar a trabalhar e só depois definir metas”, disse aos jornalistas.

O que vai acontecer quando voltares a pisar os relvados franceses?

É que Eder joga no Lille, e ainda tem quatro anos de contrato…

Eder começou por ser emprestado ao Lille, mas o clube francês agarrou-o e ainda lhe restam quatro anos de contrato. Por agora, o contrato é para manter e Eder tenciona voltar a França — sem medos. “Não estou preocupado em voltar a pisar os relvados franceses, vou fazer o trabalho da melhor forma e o que vier será ótimo de certeza”.

Aquele golo soube melhor do que o título de melhor marcador?

Soube bem melhor, nem que tivesse sido um meio golo…

Parece longínquo o dia 11 de junho, quando disse numa conferência de imprensa em Marcoussis que poderia ser ele o melhor marcador do europeu. “Posso ser eu…porque não?” O momento daria origem a algumas gargalhadas. No meio de grandes goleadores como Cristiano Ronaldo, Lewandowski, Gareth Bale, porque raio seria ele o melhor marcador do torneio? Mas Eder estava a falar a sério, era para isso que tinha trabalhado. “Quando o disse em tom de brincadeira estava a falar a sério, era um objetivo”, diz.

Não tendo tido oportunidade de pisar o relvado assim tantas vezes que lhe permitisse marcar tantos golos para receber a distinção, Eder não tem dúvidas de que o golo que marcou na final “é muito mais importante” do que qualquer título individual. “Sabe-me muito melhor do que ser o melhor marcador. Prefiro aquele golo e aquela taça, mesmo que tivesse sido um meio golo ou um auto-golo, prefiro trazer a taça para Portugal”, disse aos jornalistas durante uma das rondas de perguntas.

E o golo que foi considerado o melhor de todos, e que é tão parecido com o teu?

O quê? Eder nem sabia, os festejos têm-lhe roubado o tempo todo

Pois é, o golo que foi considerado pelos fãs, em votação online, o melhor do campeonato foi atribuído ao húngaro Zoltán Gera, e foi marcado contra Portugal, na fase de grupos. Acontece que é muito parecido ao que Eder acabaria por marcar, todo enrolado sobre si próprio, num remate longo mas certeiro.

O que acha Eder sobre isso? “Bem, estou a saber isso agora porque isto da festa é tudo o que tenho feito nos últimos dias”. Não faz mal.

5 fotos

Antes de o Euro começar achaste que o teu lugar estava em risco?

Claro…

Sim, toda a gente sabe que a vida não lhe corria muito bem, apesar do coaching mental que tinha regularmente com a agora famosa Susana Torres. Ouviu muitas críticas, mas mesmo assim o mister decidiu confiar nele. “Nada estava definido, até a convocatória sair. Eu estava a fazer o meu trabalho com esperanças de que fosse convocado. Nos jogos particulares fui criticado, mas deu o meu melhor, também marquei golos e no fim estava confiante”, diz aos jornalistas, lembrando que teve sempre o “apoio” dos colegas e do treinador.

Ouves música para te concentrares, quais são as tuas músicas preferidas?

Guess what? Justin Bieber

Eder já tinha dito, durante os minutos que esteve na loja da Nike no Chiado que tinha uma técnica de respiração muito própria para se concentrar e que recorria muitas vezes à música para encontrar o seu equilíbrio. O que ouve afinal Ederzito? “Oiço de tudo um pouco, desde hip hop, RnB, rap, mas posso dizer que durante a viagem para cá, quando já vínhamos para Lisboa, vim o caminho praticamente todo a ouvir a “Purpose” do Justin Bieber, é uma música que me marca muito”, confessou.

Uma balada, de um jovem cantor da pop norte-americana, quem diria.

Há um site para pedir desculpas ao Eder por não terem confiado logo em ti. Perdoas tudo aquilo que foi dito?

Não há nada a perdoar, amigos como antes

Ederzito que é Eder não guarda rancor. Antes de se tornar o novo herói da seleção, Eder não lia as críticas, preferia não ver, não ouvir, não ler. “Tento não prestar atenção e concentrar-me apenas no meu trabalho”, começou por dizer, lembrando que tem um lema: “Believe” [Acreditar]. Quanto ao site desculpaeder.com, que foi hoje criado para pedir desculpas ao avançado português, Eder diz que é “bem vindo”, mas não é necessário.

“Não tenho de perdoar, as pessoas estão a fazê-lo porque estão a tomar consciência e a achar que cometeram alguma injustiça, por mim é bem-vindo mas não tenho que desculpar ninguém. É humano, as pessoas têm de falar, dar a sua opinião, se agora se se estão a desculpar é porque sentiram que não estiveram tão bem. Mas não guardo qualquer rancor”, disse.

Vais continuar no Lille ou já pensas noutro clube? Houve alguma abordagem?

O telefone tem tocado muito, mas não é com convites

Eder está “muito satisfeito” no Lille, e lembra que ainda tem mais quatro anos de contrato. Se sonha mais alto, talvez sonhe, mas não o diz. Garante apenas que ainda não recebeu nenhuma proposta. “O meu telefone não tem parado de tocar, mas são só as pessoas a dar-me os parabéns”, diz, bem disposto.

Durante a jogada que levou ao golo percebe-se que não olhas nunca para a baliza, sentiste que era aquele o momento certo?

Sabia exatamente onde estava e o que ia fazer

Já toda a gente viu o golo de Eder até à exaustão, em câmara lenta, visto de cima, visto de lado, e vê-se que em nenhum momento da jogada Eder olha para a baliza. A jogada foi estudada e era para isso que o avançado se tinha preparado: só teve de não falhar, o que nem sempre é fácil.

“Nunca olho para a baliza mas a visão periférica não falha. Sei exatamente onde estou. Dá para perceber que ameaço várias vezes o remate, à espera que o defesa me dê o espaço para poder colocar lá a bola. E através da visão periférica consigo perceber exatamente onde estou e rematar daquela forma”. Depois foi só festejar. Simples.