Jean-Claude Jucker admitiu, em entrevista ao programa Télé Matin do canal France 2, que não teria aceitado o cargo de presidente não executivo do conselho de administração do Goldman Sachs International.

O jornalista perguntou ao atual presidente da Comissão Europeia se se sentia “chocado” com o cargo que o seu predecessor, Durão Barroso, irá desempenhar no banco. Juncker hesitou em responder à questão e limitou-se a dizer que Barroso respeitou todos os procedimentos. O entrevistador insistiu e perguntou-lhe se faria o mesmo, ao que o presidente da Comissão Europeia respondeu “Não o teria feito”.

A questão encerrou uma entrevista de cerca de sete minutos em que Juncker foi questionado sobre o Brexit, a Turquia e as eleições americanas.

Barroso já foi alvo de várias críticas da comunidade europeia, particularmente dos franceses. François Hollande disse que era “moralmente inaceitável” o ex-presidente da Comissão Europeia aceitar um cargo tão relevante num banco que “esteve no centro da crise dos subprimes e ajudou o Governo grego a maquilhar as contas da Grécia.”