Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas decidiu enviar um destacamento de 228 polícias da ONU para o Burundi, na esperança de colocar um fim ao clima de violência e instabilidade naquele pequeno país na África central.

A decisão foi tomada depois de uma resolução proposta pela França. A decisão foi aprovada com votos a favor 11 membros daquele órgão de 15. As abstenções foram da China, do Egito, de Angola e de Venezuela. “Trata-se de um ato diplomático preventivo”, justificou o embaixador francês para as Nações Unidas, François Delattre.

Segundo a AFP, o Burundi comunicou que aceitará apenas 50 agentes policiais, número que choca com aquele que foi decidido esta sexta-feira pelo Conselho de Segurança da ONU.

O Burundi vive atualmente um conflito interno que já provocou a fuga de pelo menos 270 mil pessoas e que resultou na morte de mais de 500 pessoas. Entre estas, segundo as Nações Unidas, algumas foram vítimas de execuções extrajudiciais cometidas pelas forças de segurança ou por milícias armadas.

A instabilidade tomou conta do Burundi desde que o Presidente, Pierre Nkurunziza, anunciou que ia concorrer a um terceiro mandato. As eleições aconteceram a 21 de julho de 2015 e deram a vitória a Nkurunziza, que juntou 69,4% dos votos, contra 18,9% do seu único adversário, Agathon Rwasa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR