O presidente do PSD disse esta quarta-feira, em Valada (Cartaxo), que a discussão sobre o Orçamento do Estado cabe ao Governo e à maioria que o suporta e não à oposição, salientando que o país “sabe o que o PSD pensa”.

“A questão não está em saber se apresentamos propostas ou não. É assim um bocadinho sazonal, chegamos à altura do Orçamento e a autossuficiência do Governo esgota-se e querem sempre envolver a oposição nessa discussão. Ora, essa discussão não é connosco. Essa discussão faz-se dentro dos partidos da maioria. É ao Governo e à maioria que compete resolver as questões orçamentais, não é à oposição”, afirmou Passos Coelho durante uma visita à Agroglobal, Feira das Grandes Culturas, que decorre até sexta-feira em Valada do Ribatejo.

O líder social-democrata afirmou que o partido apresentou, há praticamente um ano, “um projeto aos portugueses que envolve transformações importantes”, nomeadamente, como tornar a economia mais aberta ao exterior, “essencial para gerar emprego e para poder gerar rendimento para as pessoas”, numa referência ao programa eleitoral com que a coligação PSD/CDS-PP se apresentou às legislativas do ano passado.

“Não sentimos a necessidade de estar todos os dias a inventar coisas, a fazer o pino, a dizer coisas novas, a realidade do país não muda de um dia para o outro. Aquilo que é estruturalmente importante quando olhamos para o futuro, a longo prazo, está relacionado com transformações que precisamos de fazer na nossa realidade social e económica que não anda ao sabor de cada dia”, declarou.