Seis meses depois de tomar posse como Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa deixa o aviso ao primeiro-ministro, António Costa, e ao ministro da Economia, Caldeira Cabral: as Finanças estão equilibradas, mas “agora é preciso crescer”.

O aviso foi feito ao Expresso, na edição deste sábado, em forma de balanço do semestre. Marcelo diz ainda que “sem investimento público e privado não há crescimento”, pelo que já propôs ao presidente do Fórum para a Competitividade, Pedro Ferraz da Costa, para organizar um fórum para o Investimento já no mês de outubro.

O Presidente da República aponta ainda duas grandes prioridades para o próximo semestre: um Orçamento do Estado aprovado por Bruxelas “que equilibre rigor financeiro e justiça social” e continuar com “diligências e iniciativas sobre Justiça”. Marcelo tem-se referido ao combate ao crime e aos meios necessários para travar esse combate.