O mundo automóvel tem destas coisas. Ora, numa altura em que quase tudo na Skoda gira em torno do Kodiaq, o seu novo SUV, recentemente revelado, e cuja primeira aparição perante o grande público está marcada para o início de Outubro, no Salão de Paris, eis que a marca checa faz saber que a procura pelo Yeti registou um inesperado aumento na Europa, naquele que já o seu sétimo ano de produção.

Naturalmente que o crescendo de popularidade dos SUV, no continente europeu, ajudará a explicar o fenómeno. Mas não é de descartar a possibilidade de o próprio Kodiaq ter ajudado o público a olhar com outros olhos para a Skoda enquanto construtora de veículos deste género.

Indubitável é que, depois de ter vendido 99.500 unidades do Yeti em 2015, a casa de Mladá Boleslav entregou já 61.700 exemplares do modelo entre Janeiro e Agosto deste ano, tudo apontando para que, no final de 2016, as suas vendas superem as do ano passado. Para fazer face a este aumento da procura, a Skoda vai fazer uso das capacidades adicionais de produção da fábrica russa de Nizhniy Novgorod, onde o Yeti é produzido, lado a lado com o Octavia, desde 2012. Continuando, naturalmente, a ser fabricado também em Kvasiny (República Checa), Solomonovo (Ucrânia), Öskemen/Ust Kamenogorsk (Kazaquistão) e Anting (China).