A Quercus alertou para o facto de existir amianto no edifício do Ministério da Educação da 24 de Julho, em Lisboa, que se encontra em obras, e pede que se proceda de imediato à suspensão das mesmas para a retirada desse material cancerígeno. A associação ambientalista diz ter recebido várias queixas de funcionários que se sentem assustados por trabalharem naquela situação, uma vez que podem estar expostos ao pó libertado pelas obras.

À TSF, o Ministério da Educação nega as acusações da Quercus. Fonte oficial esclareceu que “a Parque Escolar está a realizar uma obra de conservação e manutenção dos edifícios ocupados pelos serviços do Ministério da Educação na Av. 24 de Julho” e que esta inclui, também, a “remoção de zonas técnicas desativadas, onde se incluem algumas telhas de fibrocimento” [com amianto].

No edifício, o maior do Ministério na capital, trabalham centenas de funcionários de várias direções-gerais.