Dois argelinos fugiram, esta quinta-feira à tarde, do aeroporto de Lisboa, quando estavam a ser encaminhados para um avião que seguiria para a Argélia, depois de terem tentado entrar em Portugal sem visto. Mesmo acompanhados pela Polícia de Segurança Pública (PSP) e pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) os fugitivos escaparam.

Ao que o Observador apurou, junto de fonte policial, quatro homens e uma mulher chegaram na tarde de quinta-feira ao aeroporto Humberto Delgado, provenientes de Argel, capital da Argélia.

No controlo de entrada de passageiros, o grupo foi barrado pelas autoridades, uma vez que não tinham visto para entrar em espaço Europeu.

Durante a tarde, o grupo foi monitorizado por uma equipa da PSP e outra do SEF, na zona internacional que, pelas 16h30, os encaminharam para o avião que os levaria de regresso ao seu país.

Foi no transporte, quando saíam do autocarro para entrar no avião, junto ao Terminal 2, que o grupo dispersou e os seus elementos começaram a correr em diversas direções. As equipas da PSP e do SEF conseguiram mobilizar ainda dois homens e uma mulher, mas outros dois acabaram por se colocar em fuga, transpondo a vedação do aeroporto e fugindo pela 2ª Circular.

Os fugitivos estão a ser procurados pela PSP e GNR e a situação no aeroporto está normalizada.

O porta-voz da PSP, o Intendente Hugo Palma, disse à RTP que esta foi “mais uma tentativa desesperada de entrar em território europeu“, um caso de imigração ilegal. Hugo Palma explicou, ainda, que como a situação é recente as autoridades ainda não conseguiram perceber o que falhou na operação permitindo a fuga dos dois argelinos.

Sobre a coordenação entre a PSP e o SEF, o porta-voz refere que se trata de “um acompanhamento misto” que tem sido reforçado para dar resposta a situações recorrentes como esta. Já houve quatro casos semelhantes. Uma vez em junho e outra em julho, dois marroquinos tentaram fugir do aeroporto de Lisboa, vindos de Casablanca com destino ao Brasil. Em setembro, dois argelinos tentaram repetir a proeza. Finalmente, em outubro seis argelinos tentaram forçar as saídas de emergência de um avião da TAP em andamento.