Nas terras mais altas do Chile, na árida região do Deserto do Atacama, sessenta e seis antenas mantêm os olhos postos no mais profundo do espaço que se alarga para lá da nossa atmosfera. O Observatório Europeu do Sul fica a 5 mil metros de altitude, longe da luz das cidades e apenas na companhia de algumas raposas que sobrevivem à natureza inóspita e fria destes planaltos. É o local perfeito para explorar o Universo com os instrumentos mais poderosos do mundo sem tirar os pés da Terra: é que ali não se vê rasgo de nuvens em cerca de 350 dias por ano.

Fundado em 1962, e atualmente financiada por 15 estados-membro, o Observatório Europeu do Sul (ESO, do inglês European South Observatory) explora o céu do hemisfério sul desde 1966 e continua a crescer: o Observatório La Silla (um dos mais poderosos do mundo), o Very Large Telescope (VLT) ou o Atacama Large Millimeter Array (ALMA) ficam todos espalhados na zona. Em breve, também o European Extremely Large Telescope, telescópios da próxima geração, vai ser instalado aqui para olhar pelo céu dentro.

O Observatório Europeu do Sul disponibiliza centenas de fotografias. O Observador recolheu algumas das imagens mais curiosas. Veja-as aqui em cima.