Ervas aromáticas, plantas suculentas ou flores, no jardim ou na varanda. Está a chegar a primavera e esta é uma boa altura para tornar o ambiente à sua volta mais verde, com uma pequena horta ou apenas um par de vasos.

Mas jardinar não é tarefa fácil, sobretudo para quem ainda é “verdinho” nestas andanças: da quantidade de água que cada planta necessita, à exposição solar e até à paciência e atenção a ter, há vários pormenores a ter em conta para que tudo cresça e floresça.

Falámos com Dário Nemésio, produtor e especialista em plantas suculentas da O Meu Amor é Verde, e reunimos sete conselhos para que seja bem sucedido.

1. Escolha a planta adequada

Nem sempre o que mais enche o olho é o que mais pode encher o vaso lá de casa. Quando se decide adquirir alguma planta é fundamental perceber que espécie se adequa ao espaço onde será inserida. A dimensão que pode atingir, por exemplo, é um pormenor por vezes esquecido mas que deve ser prioritário. Como explica Dário Nemésio, “não correrá bem, por exemplo, se plantarmos um arbusto num pequeno vaso ou uma planta pequena num vaso grande”. Informe-se sempre sobre que tipos de plantas podem crescer no vaso, floreira ou jardim que dispõe. Só depois passe para a aquisição das sementes.

(Foto: iStock)

2. Tenha atenção à exposição solar

Para cada planta, a quantidade de luz certa. É importante que observe o espaço e identifique as horas de sol e de sombra que aí incidem. Esta informação é bastante importante, já que plantas que precisam de muito sol podem “adoecer” se passarem demasiado tempo à sombra e vice-versa. Uma casa com varanda virada a sul não pode nunca escolher plantas que preferem a sombra como tulipas, violetas e algumas espécies de hortênsias, entre outras.

(Imagem retirada do Pinterest)

3. Não descure o momento da rega

Um ambiente mais seco ou mais húmido, elas escolhem. Ter atenção às quantidades e aos momentos da rega é fundamental para que não perca o trabalho que está a fazer. Verifique sempre as necessidades de cada planta e tenha presentes alguns truques que o ajudam quando não está por perto: “durante um fim de semana prolongado, ou férias, por exemplo, deve-se colocar uma garrafa ou garrafão de água com um pequeno furo na tampa, virado ao contrário e com a tampa enterrada no substrato, para que a água seja libertada lentamente. Funcionará como um género de rega gota a gota e mantém a humidade por um período mais prolongado”, diz Dário.

4. Escolha o tipo de substrato ideal

Pode não saber ainda, mas existem diferentes tipos de terra, para diferentes tipos de plantas. Agora que já sabe, sempre que for adquiri-la foque-se nas caraterísticas que farão crescer o que vai plantar. Existem substratos universais, outros para plantas aromáticas, catos, suculentas, orquídeas… Um mundo.

(Foto: Oli Scarff/Getty Images)

5. Observe as suas plantas

Aqui entra a atenção e dedicação que as plantas merecem. Não há dúvidas, este é um passo que não pode ser posto de lado. Como explica o responsável da O Meu Amor é Verde, “as plantas são seres vivos e devemos desenvolver um olhar atento: se continuam com ar saudável, se estão a crescer folhas novas, se estão a desenvolver alguma flor”. Se, por sinal, a planta não estiver com bom ar, “experimente mudá-la ligeiramente de local, para ver se melhora”.

6. Opte pelas plantas aromáticas…

Esta altura do ano pede que se dedique às plantas aromáticas. Tendo em conta os conselhos anteriores, experimente escolher três ou quatro plantas aromáticas que sejam compatíveis, como o manjericão, o cebolinho, o tomilho, o limão ou a stevia, e coloque-os num só vaso. Desta forma, para além da utilidade que vai encontrar para cada uma (sobretudo à mesa), “vai criar uma mini horta de cheiros”.

7. …Ou decida-se pelas suculentas

Aqui, Dário é ainda mais especialista. As suculentas são as plantas que vê na imagem em baixo. Para melhor as aproveitar, este jardineiro explica que as suculentas têm “reservas de água no interior das folhas/caule e, por essa razão, precisam de rega com pouca frequência (uma vez por mês no inverno, uma vez por semana na primavera e no verão)”. Se tiver uma varanda exposta ao sol, passam a ser ideais. Quanto à vertente estética, há suculentas com diferentes cores e formas, para todos os objetivos. “Uma ou mais floreiras com este tipo de plantas tem um efeito, de facto, muito bonito”, conclui Dário. “Muito interessantes esteticamente e muito fáceis de cultivar, as suculentas dão um toque original à sua varanda.”

Há suculentas de todas as formas e feitios (Foto: O meu Amor é Verde)