“A imigração é um privilégio, não um direito”, insistiu Donald Trump esta sexta-feira, depois de se reunir com a chanceler alemã Angela Merkel, afirmando que a “segurança dos nossos cidadãos tem de vir sempre em primeiro lugar”. Ambos os líderes discutiram temas como a segurança nacional, a importância da NATO e a participação no Afeganistão.

Também reconhecemos que a segurança na imigração é a segurança nacional. Temos de proteger os nossos cidadãos daqueles que procuram espalhar o terrorismo, o extremismo e a violência dentro das nossas fronteiras. A imigração é um privilégio, não um direito. E a segurança dos nossos cidadãos tem vir sempre em primeiro lugar, sem dúvida”, disse Donald Trump.

A ideia em torno da segurança nacional foi reforçada por Angela Merkel — depois de afirmar que “é melhor falar um com o outro do que um sobre o outro”, dirigindo-se à necessidade de diálogo com Trump — que contra argumentou que é preciso proteger as fronteiras sem ignorar a questão dos refugiados. Donald Trump disse ainda que os dois países precisam de continuar a trabalhar juntos para combater o islamismo radical e o auto-proclamado Estado Islâmico.

Sobre a NATO, Merkel reiterou a importância da organização, enquanto Trump reforçou que “muitas nações devem dinheiro” e que isso era injusto para os EUA. “Estas nações têm de pagar o que devem”, disse referindo-se à questão de que todos os estados-membros da NATO devem consagrar 2% do Produto Interno Bruto à despesa militar.

Questionado sobre se o slogan (e política associada) “América primeiro” poderia afetar a diversidade dentro da União Europeia, Trump argumentou que não é um isolacionista e que não acredita na política isolacionista.

O encontro que poderá ajudar a determinar o futuro da aliança transatlântica, tal como escreve a Reuters, deveria ter acontecido na passada terça-feira, mas foi adiado na sequência de um nevão que afetou a costa leste dos Estados Unidos.

Após o aperto de mão entre Donald Trump e Angela Merkel, à chegada da chanceler à Casa Branca, os líderes mundiais dirigiram-se para a Sala Oval, para aí começarem as conversações. Aos jornalistas, tanto Trump como Merkel disseram, em breves discursos, que a reunião correu bem.

Este foi o primeiro encontro entre os líderes das duas potenciais mundiais.