A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) estima que a dívida pública tenha estabilizado nos 130,4% do PIB até março, em linha com o valor registado no final de 2016 e acima da meta assumida pelo Governo para este ano, de 127,9%. Na nota mensal de abril sobre a dívida pública, à qual a Lusa teve acesso, a UTAO refere que a dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, “aumentou no primeiro trimestre”, para os 243,5 mil milhões de euros, acima dos 241,1 mil milhões a que chegou no final de 2016.

Mas face ao Produto Interno Bruto (PIB), os técnicos independentes que apoiam o parlamento calculam que a dívida pública “se tenha situado entre 130% e 130,7% do PIB” no final do primeiro trimestre, o que coloca o valor central da projeção nos 130,4%, igual ao registado em dezembro do ano passado.

A UTAO indica que, a confirmar-se esta previsão, “regista-se uma manutenção face ao valor da dívida pública no final de 2016”, o que se traduz num rácio superior ao previsto pelo Ministério das Finanças para este ano, de 127,9% do PIB. Quanto à dívida pública excluindo os depósitos da administração pública, a UTAO estima que tenha atingido os 121,3% do PIB no final do primeiro trimestre, “um acréscimo de 0,2 pontos percentuais face ao final de 2016”.