Um documentário sobre os 50 anos de carreira do “mestre da guitarra portuguesa”, António Chainho, que recorda os passos do músico “desde a infância até aos grandes palcos da música do mundo”, estreia sábado, em Santiago do Cacém.

O documentário segue o percurso de vida de António Chainho, desde São Francisco da Serra, no concelho de Santiago do Cacém, de onde é natural o músico, até aos palcos da música um pouco por todo o mundo, onde tocou com artistas como Pedro Abrunhosa, Rui Veloso, Paulo de Carvalho, Rão Kyao ou Vanessa da Matta, que participam no filme de 40 minutos.

Produzido a propósito das comemorações dos 50 anos de carreira de António Chainho, o documentário é realizado pelo jornalista Luís Godinho, que lançou o desafio de traçar o percurso do músico alentejano “desde a aldeia onde começou a aprender música de ouvido”, até chegar aos “grandes palcos do mundo”.

“Temos o depoimento de alguns amigos que dizem que ele ouvia a música na rádio, ouvia o fado na rádio e corria para casa e conseguia reproduzir na guitarra a música que tinha ouvido”, contou em declarações à agência Lusa o realizador, que procurou registar entrevistas e declarações de familiares, de amigos e de músicos.

Defendendo que António Chainho tem “um papel fundamental na música portuguesa”, Luís Godinho considera que “ele trouxe a guitarra portuguesa para o centro da música”.

Com ele, a guitarra portuguesa deixou de ser um instrumento que acompanha outros músicos, o músico passou a ser o António Chainho, o instrumento é a guitarra portuguesa e os outros músicos, os cantores, passaram a acompanhar a guitarra”, disse.

A par da carreira no mundo do espetáculo, o músico tem procurado partilhar a sua experiência e conhecimento, ensinando os mais jovens a tocar guitarra portuguesa em Santiago do Cacém e em Grândola, uma faceta do “mestre” que o realizador fez também questão de incluir no documentário.

O documentário “Mestre Chainho” vai ser apresentado pela primeira vez ao público no Auditório Municipal batizado com o nome do artista, em Santiago do Cacém, no litoral alentejano, no sábado, às 16h00, num evento de acesso livre que conta com a presença do músico e com música pelos seus alunos.

A produção do filme contou com o apoio do Museu do Fado, Fundação Oriente e do Município de Santiago do Cacém.

Luís Godinho, jornalista de profissão, já realizou outros documentários, como “Aldeia Eterna” (2016) e “Marfim” (2017), e é também co-autor da biografia de António Arnaut, que escreveu com Ana Luísa Delgado.