O golfista Tiger Woods diz que não estava sob o efeito de álcool quando foi preso esta segunda-feira, mas sim sob a influência de medicação prescrita pelo seu médico. Citado pela BBC, o golfista norte-americano explica que “não houve álcool envolvido”, mas “uma reação inesperada a medicamentos prescritos”.

“Não percebi que a mistura de medicamentos me afetou de forma tão forte”, justificou o desportista, acrescentando: “Compreendo a gravidade do que fiz e assumo total responsabilidade”. Tiger Woods aproveitou ainda para pedir perdão “com todo o coração à minha família, aos meus amigos e aos fãs”. “Eu também espero mais de mim”, rematou.

Tiger Woods foi detido na localidade de Jupiter, Palm Beach, na Florida, na madrugada de segunda-feira, por volta das 3h00, por conduzir sob a influência de álcool. O golfista acabou por passar a noite na prisão da localidade, sendo libertado às 10h50 de segunda-feira. Agora, Tiger Woods terá de comparecer em tribunal para ser ouvido.

A polícia local divulgou ainda uma fotografia da detenção do golfista, em que Woods aparece com a barba por fazer e com um aspeto mal cuidado.

Tiger Woods, de 41 anos, está a recuperar de uma cirurgia que fez à coluna no passado dia 24 de maio. Na altura, o jogador disse que tinha perspetivas de voltar ao golfe. “Nunca me senti tão bem”, disse. O golfista, antigo número 1 mundial na modalidade, não vence um campeonato de relevo há perto de uma década, detalha a BBC.