O antigo presidente da câmara de Gondomar, Valentim Loureiro, vai voltar a ser candidato à autarquia que liderou durante 20 anos. O major confirmou ao JN que irá a votos como independente (“vou ser candidato à câmara, agora temos de trabalhar”) e espera “ser útil aos gondomarenses”. Contactado pelo Observador o seu antigo chefe de gabinete e candidato do PSD à autarquia, Rafael Gomes Amorim, mostrou não estar preocupado com o avanço de Valentim Loureiro e afirma que “todas as candidaturas que forem em prol de Gondomar e trouxerem ideias para o concelho são bem-vindas”.

Valentim Loureiro, também em declarações ao JN, diz que tem sido “bastante assediado e solicitado”, em telefonemas, mensagens, contactos “nas ruas do Porto”, onde reside, e encontros com apelos à sua candidatura. O antigo autarca explica que “não estava muito recetivo” a ir a votos mas entendeu que o devia fazer para “ajudar a resolver os problemas dos gondomarenses”. Elege ainda como prioridade a “área social, que diz mais diretamente respeito às pessoas”. Valentim disse ainda que as pessoas têm “saudade” da sua presidência e promete “mais sensibilidade.”

Em novembro, o Expresso noticiou que quer a concelhia do PSD em Gondomar, quer a distrital do Porto, achavam boa ideia o regresso de Valentim Loureiro, mas foi Passos Coelho que vetou essa possibilidade. Outro dos candidatos à vitória é o atual presidente da autarquia, Marco Martins, que volta a ser o candidato do Partido Socialista.