Foram encontradas na China sepulturas com cerca de 5 mil anos que tinham esqueletos “gigantes” . Os arqueólogos descobriram esqueletos que mediam entre 1.80 metros e 1.90 metros. Segundo os especialistas, as pessoas na província chinesa, Shandong, eram “mais altas e mais fortes” do que o normal para esta região, cuja estatura média no país, segundo um estudo de 2015, era de 1.72 metros.

Um dos esqueletos, com 1.90 metros, pertencia a um indivíduo que “certamente” excedia esta altura, acredita Fang Hui, o responsável pelo Agrupamento de História e Cultura da Universidade de Shangong. Isto porque as descobertas são “apenas baseadas na estrutura óssea”, disse Fang. O vídeo do Telegraph mostra essas imagens impressionantes.

Os arqueólogos acreditam também que os indivíduos encontrados nestas sepulturas pertenciam a classes sociais elevadas e que tinham acesso a uma melhor alimentação do que pessoas “comuns”. As escavações às ruínas das habitações indicam ainda que as pessoas viviam confortavelmente, com quartos e cozinhas separadas.

Ainda assim, não deixa de ser estranha a estatura tão elevada. Diz Fang que, na altura, as pessoas “tinham recursos alimentares ricos e diversos” e que, por isso, “o físico mudou”. O milho era a principal cultura, disse o investigador, que relatou depois também terem sido encontrados ossos e dentes de porco em algumas sepulturas.

Os arqueólogos encontraram ainda diversos artefactos da cultura Longsdan – uma civilização do período do neolítico. A investigação começou em 2016 a escavar ruínas de 104 casas, 205 sepulturas e 20 poços, na capital de Shandong. Ao todo, já foram escavados dois mil metros quadrados.