Rádio Observador

Pastel de Nata

Os pastéis de nata da Manteigaria chegam ao Porto esta semana

624

A receita do chef Miguel Rocha Vieira, que tem conquistado todos os que passam pelo Chiado, chega ao Porto na quinta-feira. O espaço vai ter fabrico próprio, aberto para a rua. O preço mantém-se: 1€.

A Manteigaria abriu em Lisboa em 2015 e já tem um espaço no Mercado da Ribeira. Agora, parte à conquista dos portuenses.

© www.facebook.com/pg/manteigariacamoes

Pastéis de nata, tal como chapéus, há muitos. Todos os cafés e pastelarias em Portugal vendem o doce português, mas são poucos os locais que justificam desvios e fidelidade. Quando a Manteigaria abriu na Baixa de Lisboa, em 2015, rapidamente se tornou local de peregrinação de gulosos mais exigentes. Agora, é a vez da marca tentar conquistar o amor dos portuenses.

As várias fornadas de pastéis de nata vão ser servidas na Rua Alexandre Braga, mesmo ao lado do Mercado do Bolhão, no espaço que antes era da Delta Q e que agora as duas marcas vão partilhar. O edifício reabre na quinta-feira à tarde, totalmente renovado, e será possível ver da rua o fabrico de cada pastel, adianta ao Observador Aristides Rocha Vieira, o proprietário da Manteigaria.

Em Lisboa, há um sino que toca sempre que um conjunto de pastéis sai do forno. No Porto também haverá, garante ao Observador. Tudo para que os clientes saibam qual a melhor altura para comer os pastéis que o sobrinho de Aristides Rocha Vieira, o chef Miguel Rocha Vieira, ajudou a criar.

As caixas já famosas também se mantêm iguais. As de meia dúzia custam 6€. © Divulgação

“O segredo é usar ingredientes puros, matérias primas sem aditivos, manteiga e não as margarinas que agora se usam”, começa por dizer o responsável. Trata-se de uma manteiga própria para massa folhada que tem de ser importada de França, porque em Portugal “deixou de se fazer nos anos 1970”. Para a massa folhada ficar estaladiça e caramelizada, o pastel vai ao forno a temperaturas mais altas do que o normal. “A massa folhada é aberta à mão forma a forma”, explica este defensor da receita tradicional.

Desde que abriu, há dois anos, que a Manteigaria vende o seu ex-libris a 1€. O preço mantém-se o mesmo no Porto. Em Londres é que talvez seja mais caro. É que o próximo passo é a internacionalização, e Aristides Rocha Vieira conta poder ter os seus pastéis na capital inglesa em 2018. Nada de exportar congelados: a ideia é criar uma escola social em Portugal para formar pasteleiros que possam depois fazer os pastéis de nata de raiz lá fora.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Alguns mitos da democracia portuguesa /premium

André Abrantes Amaral

Alguns mitos desta democracia: que está tudo bem, que os portugueses são racistas e que a direita não existe porque é socialista. Contudo, como sucede com os verdadeiros mitos, estes também são falsos

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)