A companhia industrial alemã Siemens anunciou, esta sexta-feira, que vai pôr termo a “algumas atividades” com a Rússia após ter descoberto que quatro turbinas de gás terão sido “desviadas” para a Crimeia sem que Moscovo tivesse dado conhecimento.

De acordo com um comunicado, a Siemens vai, por isso, vender as participações minoritárias que detém no grupo russo Interautomatika.

A empresa alemã vai também denunciar o acordo que mantinha com a Rússia sobre o fornecimento de equipamentos para centrais elétricas e suspender a entrega de material destinado a companhias controladas pelo Estado russo.

O território ucraniano da Crimeia foi anexado pela Federação Russa no início de 2014.