Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Michael Phelps a nadar com um tubarão branco. Só esta frase deveria ter deixado os espectadores de sobreaviso quando ouviram falar do documentário “Phelps vs. Shark: Great Gold vs. Great White” que colocaria lado a lado o ‘tubarão’ de Baltimore, predador de 28 medalhas olímpicas, com o rei dos tubarões, o predador dos mares.

Apesar do próprio nadador norte-americano já ter dito que não iria fazer uma corrida com um tubarão em alto mar, muitos estavam efetivamente à espera de o ver num verdadeiro duelo com um tubarão e ficaram indignadas quando perceberam que, afinal, não era um tubarão ‘a sério’.

O balde de água fria só chegou ao fim de quase uma hora do documentário, que foi transmitido este domingo, no Discovery Channel, com a afirmação do ecologista Tristan Gutteridge: “Obviamente que não podemos pôr o Michael numa pista e um tubarão branco numa pista afastada. Vamos ter de fazer uma simulação.”

Foi precisamente a isso que os espectadores assistiram: uma simulação de uma corrida entre o nadador e um tubarão.

https://www.youtube.com/watch?v=_VEtxEL8inc

O Washington Post explica que, ao longo do programa, Gutteridge e a sua equipa recolheram dados relativamente à velocidade a que nadam os tubarões — uma tarefa nada fácil, especialmente porque eles não nadam em linha reta. Estas informações foram depois utilizadas para recriar, através de computador, a imagem de um tubarão a fazer uma corrida com Michael Phelps.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A indignação (e desilusão) não tardou a chegar às redes sociais:

https://twitter.com/CarPanthersNews/status/889291055077699587

E como se não bastasse, o nadador olímpico… perdeu a corrida. O tubarão ‘falso’ nadou 100 metros em 36.1 segundo enquanto Phelps fez o mesmo percurso em 38.1 segundos.

Mas também houve quem ficasse chocado com o facto de ter havido pessoas que achavam mesmo que Phelps iria nadar com um tubarão verdadeiro: