As autoridades de imigração da Colômbia informaram que cerca de 560 mil cidadãos venezuelanos solicitaram um Cartão de Mobilidade Fronteiriça (TMF) que permitirá a sua entrada em zonas de fronteira, caso sejam aprovados os pré-registos.

“Concebemos este documento como um meio para facilitar a mobilidade na fronteira sem descuidar a segurança”, indicou o diretor de Migrações da Colômbia, Christian Krüger, citado num comunicado do seu gabinete.

A fronteira entre a Colômbia e a Venezuela foi fechada em agosto de 2015 por ordem do presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Um ano depois foi reaberta – com restrições – à passagem de pessoas a pé.

Desde agosto de 2016 até final do ano registaram-se 16 milhões de entradas e saídas entre os dois países.

Daqueles que entraram na Colômbia, 70% foram comprar alimentos e medicamentos, 20% para consultas médicas e 10% para visitar familiares.

O diretor da autoridade migratória colombiana disse que todos os cidadãos venezuelanos poderão ser portadores do cartão TMF, quando inicialmente apenas os habitantes próximos da fronteira o poderiam solicitar.

No entanto, estes cidadãos venezuelanos apenas poderão deslocar-se em zonas de fronteira com a Colômbia.

Krüger sublinhou que as autoridades colombianas vão começar a imprimir os cartões de fronteira a partir de 01 de agosto, mas só para os venezuelanos que tenham realizado um pré-registo junto das autoridades migratórias da Colômbia.