O Governo da Malásia confirmou esta quarta-feira que vai avaliar novos dados que podem reduzir a três zonas específicas do Índico as buscas para encontrar o avião da Malaysia Airlines que desapareceu em 2014 com 239 pessoas a bordo.

O vice-ministro dos Transportes, Aziz Kaprawi, comentava os resultados de um novo estudo do departamento de ciência do Gabinete de Segurança de Transportes d Austrália, baseado em imagens de satélite francesas que mostram objetos “provavelmente fabricados pelo homem” a flutuar. Nada nesse estudo sugere que se trate de objetos ou partes do voo MH370, desaparecido sobre o Índico a 8 de março de 2014, 40 minutos depois de descolar de Kuala Lumpur com destino a Pequim, com 239 pessoas a bordo.

O estudo australiano inclui contudo uma nova análise que pode permitir limitar as buscas a três pontos específico na área de 25.000 quilómetros quadrados definida em novembro por um painel de especialistas como o local onde é mais provável estarem os destroços do avião.