O rei de Marrocos, Mohammed VI, indultou este domingo 415 pessoas, entre as quais 13 condenadas por terrorismo, por ocasião de uma festa nacional, indicou fonte oficial.

O soberano marroquino “quis realmente dar o seu perdão a 415 pessoas condenadas por diferentes tribunais do reino, algumas das quais estavam na prisão e outras em liberdade”, disse o ministério da Justiça em comunicado.

No dia do 64.º aniversário da “Revolução do rei e do povo”, celebrado a 20 de agosto, o rei de Marrocos concedeu igualmente o seu perdão a 13 reclusos “condenados em casos de terrorismo e participantes no programa Mossalaha (reconciliação)”, e um condenado beneficiou de uma “comutação da sua pena de morte para uma pena de 30 anos”.

Mas Mohammed VI não indultou qualquer dos detidos do movimento de contestação que agita a região do Rif, no norte do país, quando “muitos indícios” levavam a crer que iria fazê-lo, segundo a imprensa local.

No fim de julho, o monarca tinha indultado 40 presos desse movimento surgido em outubro do ano passado.