Rádio Observador

Ensino Superior

Ministro não arreda pé no “combate para dar a volta às praxes”

O ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor, voltou a defender que é preciso "não arredar pé" no "combate para dar a volta às praxes", promovendo as práticas positivas.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

O ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor, defendeu esta sexta-feira que é preciso “não arredar pé” no “combate para dar a volta às praxes”, promovendo as práticas positivas, em detrimento das que são “negativas e humilhantes”.

É um combate que temos de encarar todos, os dirigentes, os estudantes, as famílias, os amigos, os vizinhos dos vizinhos, porque é um processo social e temos de encará-lo ano após ano”, afirmou, em declarações aos jornalistas na Universidade de Évora.

O ministro que tutela as pastas da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior considerou que “há sensibilização” sobre a necessidade de práticas positivas nas praxes académicas, nas universidades e politécnicos, mas “nunca é suficiente”.

“Hoje, em todo o país, incluindo em Évora, temos processos muito positivos de integração” dos novos alunos, que contribuem para transformar e identificar “o ensino superior como um espaço de tolerância e de diálogo aberto”, destacou.

Mas, ao mesmo tempo, sublinhou, “persistem na sociedade portuguesa”, não só essas boas práticas, “como práticas particularmente negativas e humilhantes, onde os mais novos são humilhados pelos mais velhos”.

“E, por isso, temos de as combater diariamente. É para isso que cá estamos, para não arredar pé neste combate de dar a volta às praxes”, enfatizou.

Na deslocação que efetuou hoje à Universidade de Évora, o ministro participou numa sessão com novos estudantes da academia alentejana, no âmbito do programa “Exarp”, que apoia iniciativas promotoras da liberdade e emancipação dos jovens e da sua melhor integração no ensino superior.

O “Exarp”, que conta com o impulso da Direção-Geral do Ensino Superior, apela “à promoção clara e inequívoca de práticas de receção e integração dos estudantes no ensino superior através da ciência e da cultura, entre outras iniciativas de âmbito cívico, social ou desportivo”.

O objetivo do programa, realçou hoje o governante, é “mobilizar boas práticas para que os estudantes sejam integrados e identifiquem o ensino superior como um espaço de diálogo, de cultura, de tolerância e onde não seja permitida, sobretudo, uma identificação de estudar com a humilhação”.

Manuel Heitor participou também numa reunião com investigadores, realçando aos jornalistas que este é “um ano particularmente importante na área da Ciência, porque irá corresponder a uma nova avaliação das unidades de investigação”.

Ao final da tarde, o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior vai assistir ainda, na academia alentejana, à conferência “The Higgs particle and our life”, com a presença de Fabiola Gianotti, a diretora-geral do Centro Europeu de Investigação Nuclear (CERN), entre outros especialistas.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)