A explosão de uma caixa multibanco, hoje em Águas Santas, Maia, foi precedida de dois casos similares, um em Vila das Aves, Santo Tirso, e outro em Laúndos, Póvoa de Varzim, disse fonte da GNR.

Contactada pela Lusa, fonte da GNR do Porto sublinhou que o “modus operandi” nos três casos foi similar e assinalou que ocorreram em zonas relativamente próximas e com escasso tempo de intervalo, mas remeteu conclusões quanto a uma eventual autoria comum dos três crimes para a Polícia Judiciária, que entretanto já está a realizar averiguações.

O primeiro caso, em Laúndos, ocorreu às 02h20 num multibanco instalado na junta de freguesia, seguindo-se o de Vila das Aves às 03h52 numa agência da CGD e o de Águas Santas às 03h40, este já na área da PSP.

Fonte do Comando Metropolitano da PSP disse à Lusa que a explosão em Águas Santas provocou danos não só no prédio onde se encontrava instalada a máquina ATM, mas também em “alguns” edifícios contíguos e em três automóveis.

A PSP foi a força policial chamada ao local, mas a investigação do caso passou entretanto para a alçada da Judiciária.