Apontado como um dos maiores grupos automóveis chineses, que tem na Geely a sua marca (chinesa) mais conhecida, mas que também detém fabricantes estrangeiros como a Volvo ou a Lotus – a aquisição mais recente -, o Zhejiang Geely Holding Group acaba de juntar mais uma marca ao seu portefólio: a Terrafugia, sedeada no Massachussets e especializada no desenvolvimento de carros voadores. A startup norte-americana espera, com o apoio e concordância do novo dono, iniciar as vendas já a partir de 2019.

Novo CEO para apostar no reforço da pesquisa

Mostrar Esconder

Com a passagem para as mãos do Zhejiang Geely Holding Group, a Terrafugia ganha também um novo CEO, Chris Jaran. Este, depois de uma carreira de “mais de 30 anos na indústria dos helicópteros” e de “17 anos na indústria da aviação chinesa”, disse que iria abraçar este novo desafio “com confiança no futuro”. Mas também tendo como “primeira prioridade o crescimento das capacidades de pesquisa e desenvolvimento da companhia”.

Considerada uma das companhias líderes no desenvolvimento de veículos capazes de circular tanto no alcatrão como pelo ar, a Terrafugia tem vindo a desenvolver protótipos, com vista à produção, em larga escala, de um automóvel voador. Sendo que, depois de ter começado com um primeiro protótipo, a que deu o nome de Transition, o qual ainda necessitava de alguns metros de “pista” para descolar e aterrar, desenvolveu num novo tipo de carro voador, capaz de levantar voo e aterrar na vertical (VTOL – Vertical Take-Off and Landing).

[jwplatform qSPXzns6]

De resto, a Terrafugia deu já a conhecer um segundo protótipo, com características VTOL, denominado TF-X, e cuja propulsão é garantida através de um sistema híbrido plug-in. Que, além de anunciar uma velocidade de cruzeiro de 320 km/h, promete uma autonomia a rondar os 800 km.

“A Terrafugia tem como objectivo colocar o seu primeiro carro voador no mercado em 2019, sendo que o primeiro veículo VTOL deverá estar disponível a partir de 2023”, afirmou, na cerimónia de aquisição por parte do Zhejiang Geely Holding Group, o fundador e até aqui CEO da startup norte-americana, Carl Dietrich. Acrescentando que, com a integração no grupo chinês, a empresa não só “beneficiará do conhecimento e inovação que este tem vindo a conquistar no seio da indústria automóvel”, como continuará “focada na sua missão de desenvolver carros voadores”.

A Geely assumiu já o compromisso de ajudar a empresa a alcançar o seu objectivo. “O nosso investimento na Terrafugia reflecte a nossa confiança na visão que a empresa tem demonstrado. Assumimos, desde já, o compromisso de apoiar totalmente os seus esforços quer através das sinergias resultantes da nossa presença internacional, quer da inovação que temos conseguido, no sentido de tornar o carro voador uma realidade”, declarou o fundador e chairman do grupo chinês, Li Shufu. Veja aqui como funcionava o primeiro protótipo da Terrafugia, ainda antes da descolagem e aterragem vertical:

[jwplatform tQhvrQo9]