Prisão

Presos usam telemóvel com internet para chantagear e extorquir dinheiro a mulheres

159

Dois reclusos em Paços de Ferreira com acesso a telemóvel conheciam mulheres em aplicações de encontros e chegaram a extorquir 600 euros. Acusados pelo Ministério Público, pena pode chegar a 15 anos.

Ao todo, no ano passado, foram intercetados, nas 49 cadeias, 2.094 telemóveis

Douglas Grundy/Three Lions/Getty Images

Autor
  • Marlene Carriço

O caso remonta a 2015. Dois reclusos da cadeira de Paços de Ferreira — com acesso à Internet via telemóvel — conheciam mulheres nas redes sociais com o fim de lhes extorquir dinheiro. O esquema foi desmontado quando uma das mulheres, depois de ter depositado 600 euros na conta bancária da namorada de um dos presos, apresentou queixa na polícia.

Os dois presos — um condenado a 14 anos de prisão por crimes de sequestro, roubo, tentativa de homicídio e burla informática e outro condenado a 20 anos de prisão por fazer parte de um grupo que assassinou um jovem de 23 anos em Valongo — tiveram acesso a um telemóvel com dados móveis que era carregado pela namorada de um deles. Terá sido essa namorada, segundo o Jornal de Notícias, a fazer entrar o equipamento dentro da prisão de Paços de Ferreira.

Com o telemóvel nas mãos, os reclusos conheciam mulheres em aplicações de encontros, mentiam sobre a verdadeira identidade e obtinham informações pessoais que usavam depois para as chantagear e extorquir dinheiro.

Uma das vítimas chegou mesmo a depositar, a 29 de abril de 2015, 600 euros numa conta bancária — titulada pela namorada de um dos reclusos — para tentar impedir que alegadas filmagens de atos sexuais com o ex-namorado fossem enviadas para familiares e para o local de trabalho. A uma segunda tentativa de extorsão, a vítima foi apresentar queixa na polícia e o esquema foi descoberto.

Ambos são acusados pelo Ministério Público por crime de extorsão agravada e a pena de prisão pode chegar aos 15 anos. O JN nada refere em relação a eventuais medidas aplicadas dentro da prisão por ter sido possível um telemóvel com acesso à Internet ter acabado nas mãos dos reclusos.

Segundo o Correio da Manhã, entre 1 de janeiro e 15 de maio deste ano, foram intercetados 834 telemóveis nas prisões, mais do que os 821 apanhados em igual período de 2016. Ao todo, no ano passado, foram intercetados, nas 49 cadeias, 2.094 telemóveis.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Crónica

Partir A. Ventura /premium

José Diogo Quintela

Ventura quer mudar o sistema por dentro. É uma espécie de supositório humano: faz-se introduzir no organismo para depois exercer a sua influência. Ei-lo metade glicerina, metade convicção ideológica.

Cristianismo

Nos portais do mistério, com Charles Péguy

Jaime Nogueira Pinto

De maioria que éramos, dominante e governante, e por isso até arrogante, nós cristãos, na Europa e no mundo, estamos a ficar minoria e voltámos a ser perseguidos, alvo de atentados, de discriminações.

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)