O risco de avalanche era esta quinta-feira máximo nos Alpes franceses, após a passagem pela Europa ocidental da tempestade Eleanor, que fez em dois dias cinco mortos e um desaparecido, em França e Espanha.

Durante mais de 24 horas, ventos violentos e chuvas torrenciais abalaram Inglaterra, Irlanda, Suíça, Alemanha, Bélgica, Holanda, França e Espanha, deixando um rasto de destruição que fez dezenas de feridos, perturbando o tráfego aéreo e privando milhares de habitações de eletricidade, enquanto, do outro lado do Atlântico, a costa leste dos Estados Unidos enfrenta uma tempestade que também está a causar cancelamento de voos, encerramento de escolas e até o adiamento de todas as votações desta semana no Senado.

Em França, uma mulher de 93 anos morreu esta quinta-feira em Isère (sudeste), na sua casa inundada por uma corrente de água e lama, e um agricultor morreu soterrado por neve em Sabóia (leste).

Na véspera, um esquiador de 21 anos morreu atingido por uma árvore em queda, na estância alpina de Morillon.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um bombeiro francês desapareceu num rio de Sabóia a meio do dia, ao socorrer uma família que se refugiou em cima de uma viatura, estando a decorrer buscas num setor que se tornou muito perigoso devido à intempérie que fez também cerca de 30 feridos no país.

A ilha mediterrânica da Córsega foi, por sua vez, palco de incêndios “de uma intensidade excecional em pleno inverno”, devido a uma “explosiva combinação” de ventos violentos e solo seco.

Em plenas férias escolares, as estâncias de esqui dos Alpes, na maioria encerradas na quarta-feira, começaram lentamente a reabrir, mas alertando para o perigo de avalancha: muitos maciços montanhosos foram colocados em alerta 5, o nível máximo na escala de risco.

Val d’Isère adiou a abertura das suas pistas e Chamonix proibiu o acesso à maioria dos elevadores e teleféricos.

“O objetivo é colocar toda a gente em segurança, tanto os clientes como os funcionários”, explicou o presidente da secção Sabóia das Zonas Esquiáveis de França, David Ponson.

Em Espanha, a costa basca, atingida por ventos violentos, manteve-se em estado de alerta, um dia após a morte de um casal arrastado por uma vaga.

Quando se encontravam no cais de uma aldeia costeira, um homem de 67 anos e a sua mulher, de 65, morreram afogados e um jovem que tentou socorrê-los foi salvo no limite.

O sexagenário perdeu a consciência quase de imediato, mas a mulher chegou a agarrar uma corda lançada por pessoas que passavam, antes de a largar, levada pela corrente, relatou o presidente da câmara da cidade vizinha de Mutriku, José Angel Lizardi, à televisão basca.

“Estavam ambos no cais, a ver as ondas, quando uma grande os projetou para a água. E a corrente levou-os”, comentou.

Na Alemanha, onde o serviço de meteorologia Deutsche Wetterdienst levantou na quarta-feira à noite o alerta de ventos violentos, é agora o nível das águas que preocupa as autoridades de vários estados regionais.

No oeste do país, a circulação de barcos no rio Mosela foi interrompida devido à chuva intensa.

“O Mosela está completamente encerrado”, indicou o diretor-adjunto dos serviços de navegação em Coblença, Tobias Schmidt, citado pela agência noticiosa alemã DPA.

O nível da água do rio Reno está também a ser atentamente monitorizado em Colónia (oeste), onde deverá atingir hoje sete metros e ultrapassar na sexta-feira 7,7 metros, noticiou o diário alemão Bild.

O tráfego fluvial, já limitado na quarta-feira no setor de Colónia, é suspenso a partir dos 8,3 metros, recordou a DPA.

Na quarta-feira, a tempestade Eleanor mobilizou as equipas de socorro em várias regiões da Alemanha, onde diversas estradas foram cortadas e a circulação ferroviária sofreu perturbações.