Rádio Observador

IPSS

Nova presidente da Raríssimas quer retomar confiança de associados com “transparência”

Sónia Laygue tomou esta sexta-feira posse como presidente da Raríssimas. Durante um curto discurso, explicou que quer retomar a confiança dos associados e traçar um plano com "transparência".

Sónia Margarida Laygue foi eleita presidente da Raríssimas durante a assembleia geral extraordinária realizada na quarta-feira

MÁRIO CRUZ/LUSA

Sónia Margarida Laygue, a nova presidente da Raríssimas, quer retomar “a confiança” de todos os associados e dos portugueses e traçar um plano de ação “claro e focado, com metas e transparência”. “A palavra de ordem da nossa direção será transparência para que consigamos todos avançar”, garantiu.

Na tomada de posse dos novos membros da direção, realizada durante a manhã desta sexta-feira na Casa dos Marcos, na Moita, Sónia Margarida Layge explicou que as prioridades da associação passam agora por procurar “esclarecer a situação financeira e manter o financiamento e apoios previstos nos próximos meses, fazer um diagnóstico de toda a situação, não só financeira, mas também ao nível da cultura de práticas de gestão, e reunir com todos os stockholders“.

Para que as medidas necessárias possam ser levadas a cabo “com maior concentração e serenidade”, Sónia Layge pediu “espaço para agir e conseguir inverter a situação”. Para a nova presidente da Raríssimas, a recuperação da confiança perdida não se faz apenas com palavras, mas sobretudo com “ação”. “Precisamos de agir e de demonstrar”, disse Sónia Layge, que fez questão de deixar claro que assumiu “este compromisso” para dar “continuidade” ao trabalho da Raríssimas.

A nova direção vai agora “reunir toda a informação, traçar todos os planos”, e só depois estará disponível para prestar esclarecimentos à comunicação social. “Teremos todo o gosto em prestar declarações a todos os órgãos de comunicação social, mas mais tarde, não neste momento”, afirmou ainda a presidente, pedindo “compreensão”.

Sónia Margarida Laygue foi eleita presidente da Raríssimas durante a assembleia geral extraordinária realizada na quarta-feira, no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários da Moita. Dos 22 associados que participaram na votação, 18 votaram a favor. Além de Sónia Laygue, foram ainda eleitos Mafalda Sofia Costa, funcionária da Casa dos Marcos, para vice-presidente, Rui Pedro Alves Ramos, fisioterapeuta da Raríssimas, como tesoureiro. Para secretário, foi eleito o psicólogo da Casa dos Marcos, António Veiga e para vogal Fernando Alves, pai de uma criança “rara”. Rosalina Alves dos Santos, também mãe de uma criança com doença rara, será vogal suplente.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)