O dress code da 75ª edição dos Globos de Ouro foi só um: preto. Para apoiar publicamente as vítimas de assédio sexual, quase todas as convidadas se vestiram de negro para percorrerem a passadeira vermelha em Los Angeles. Atrizes como Meryl Streep, Amy Poehler, Emma Watson, Angelina Jolie e Michelle Williams não foram sozinhas e fizeram-se acompanhar de ativistas dos direitos das mulheres. O desfile nunca foi tão desprovido de cor, com dezenas de atrizes e estrelas do espetáculo a contrariarem o lema do clássico vestido preto. Vestiram-no, mas comprometidas com a causa.

Mesmo com um batalhão de convidadas vestidas de preto, a passadeira vermelha dos Globos de Ouro não deixou de ser o habitual show de vaidades. Como sempre, houve de tudo: visuais bem sucedidos, escolhas seguras e opções pouco felizes. Entre as que mais deslumbraram na red carpet estão Jessica Biel (um acessório como Justin Timberlake favorece sempre), Saoirse Ronan, Dakota Johnson, que se mantém fiel a Gucci, Angelina Jolie, a modelo Kendall Jenner e a atriz Allinson Williams, a grande surpresa da noite no que toca à moda.

A escolha parecia estar facilitada. Ao mesmo tempo, no meio de 100 vestidos pretos é preciso saber como sobressair e nisso, algumas convidadas deixaram a desejar. Heidi Klum parece ter ficado com metade do vestido de Jenner, Lily James abusou dos folhos e Gal Gadot só pode ter escolhido o outfit às escuras.

Do lado dos acessórios, foram os brincos verdes as joias que mais brilharam. Várias estrelas apostaram neste acessórios statement para fazer a diferença, se bem que o brilharete de Angelina Jolie nos Óscares de 2009 também deve ter ajudado.

Artigo atualizado às 5h17 de 8 de janeiro.