O governo espanhol anunciou esta terça-feira que decidiu não renovar os acordos que tinha com as três grandes agências de notação financeira (Standard & Poor’s, Fitch e Moody’s), optando por manter apenas um contrato com a DBRS.

“Consideramos que não é necessário trabalhar com todas, dado o clima de confiança que existe atualmente na economia espanhola, ao contrário de outros tempos”, explicaram fontes do Ministério da Economia citadas pela agência Efe.

Numa conferência de imprensa em Bruxelas, Luis de Guindos, titular da pasta da Economia de Espanha, defendeu a decisão, alegando que as três grandes agências avaliam a dívida espanhola sem necessidade de contratos.

“Todas as agências de ‘rating’ vão avaliar a dívida espanhola e isto não é uma questão de poupança, é porque a dívida espanhola é tão relevante que creio que não é necessário pagar a qualquer agência de ‘rating'”, disse o ministro.

Luis de Guindos afirmou ainda que esta é uma decisão “normal” que ocorre quando “se entra numa fase de normalização das relações do Tesouro espanhol com os investidores internacionais” e argumentou que em países como a França e a Alemanha não existem contratos deste tipo.